Publicidade
Notícias | Especial Coronavírus BOM EXEMPLO

Se alunos não estão na escola, as atividades de aula vão até eles

Escolas de Educação Infantil de Morro Reuter e São Leopoldo resolvem ocupar os alunos enviando mensagens virtuais para os pais aplicarem atividades que podem ser feitas na companhia de toda a família

Por Susi Mello
Última atualização: 25.03.2020 às 14:58

Eduarda, da Escola Cecília Graeff, na hora do conto Foto: Arquivo Pessoal
A criançada está em casa, mas nem pensa em se desligar da escola. É lá que estão os amiguinhos. Por isso, algumas "profes" da Educação Infantil tiveram a ideia de preparar atividades para que seus alunos se ocupem durante o período de isolamento social.

CONTEÚDO ABERTO | Leia todas as notícias sobre coronavírus

PRA COMPARTILHAR | Bons exemplos de ações da região

As atividades enviadas por grupo de WhatsApp, formado por familiares e professoras da Escola Criança Florescer, de São Leopoldo, vão desde ser um "master chef", com dicas de receitinhas, passando por sessão de fotos, massa de modelar cheirosa até a montagem de um atelier com desenho.

Já em Morro Reuter, as professoras da Escola Municipal de Educação Infantil Cecília Graeff resolveram presentear as famílias de 76 alunos com um pacote contendo livros de histórias e atividades para serem feitas durante o período que estão fora da escola. O combo de entretenimento contém receitinhas, ensina a fazer bolhas de sabão gigantes e coloridas, dicas para contar histórias com teatro e ensina a fazer massinha de modelar caseira. "Cada dia, as crianças recebem uma tarefa para cumprir e no retorno às aulas irão fazer um relato para continuidade do trabalho em sala de aula", explica a professora Marlei Inês Mossmann, da turma do nível 3.

As crianças pensam que estão em férias e, por isso, as atividades são importantes. A constatação é da também professora Clarissa Ravalha, 36, mãe de Eduarda Ravalha Spengler, 3 anos. A cada dia, diz, as crianças têm algo diferente. "Ela está se divertindo com as atividades, como fazer sorvete e cupcake, a hora do conto e brinca com massa de modelar", acrescenta Clarissa, que foi surpreendida com o presente especial que a escola distribuiu no último dia de aula.

Música da "jaula do seu leão"

Que tal cantar com a criançada em casa? A professora Renie fez um vídeo com a música do leão, que pode ter variações com outros bichinhos, como dinossauro, vaquinha, ovelha, entre outros. Basta substituir na letra que é assim: "lá na jaula do leão, ninguém pode pôr a mão, o leão é muito bravo, fica quieto seu leão".

 

Convívio mantido pela tela do notebook

A professora Renie Bortolin, que trabalha na Escola Criança Florescer, de São Leopoldo, em parceria com a diretora Milena Maicá, resolveu gravar vídeo com atividades recreativas. "A gente criou o grupo para as crianças conversarem entre si", conta. A ideia tem dado certo. A professora recebeu várias mensagens das crianças falando que estão gostando e que estão com saudades. Sem contar, que as mães não se inibem em compartilhar vídeos das crianças brincando em casa. "Estou gostando da primeira experiência em lidar com as crianças de longe", comenta a professora.

A diretora da escola, Milena Maicá, conta que sua filha, Antonella Maicá Albernaz, 2 anos, sai correndo em direção ao notebook quando ouve a voz da professora Renie. "Ela reage super positiva, sente a proximidade, olha a imagem dos amigos, que são enviadas pelos outros pais, nomeia cada um deles e se sente parte disso tudo", comenta Milena.

Apesar das atividades chegarem pelo celular, a maioria dos pais utiliza notebooks para abrir os vídeos e fotos para as crianças. "Eles sentem falta da escola, do convívio com os amigos, até porque recém tinham voltado de período de férias e da adaptação. E a criação desse grupo foi motivada, justamente, para a manutenção desse vínculo", acrescenta a diretora.

Quem é quem

Além da filha de Milena, que criou a ideia com Renie, fazem parte do grupo os pais de Maria Luiza, 2 anos, Antonella C, 2, Leonardo, 3 anos, Flora, 3, Gael, 2, Eduardo, 4, Maria Flor, 5, Muriel, 3, Henrique, 3, Luisa, 3, Sofia, 5, Murilo, 4, Maitê, 4, Heitor, 3, e Elisa, de um ano. As professoras Flávia e Jéssica Monteiro também fazem parte.

 


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.