Publicidade
Notícias | Especial Coronavírus Distanciamento Controlado

Com UTI inaugurada nesta semana, Canela lamenta classificação vermelha para Serra

Prefeito Constantino afirmou que independentemente do mapa final, município vai acatar a decisão do Estado; macrorregião vai recorrer

Por Letícia de Lima
Publicado em: 14.08.2020 às 19:00 Última atualização: 14.08.2020 às 19:25

Depois de passar duas semanas na bandeira laranja, a macrorregião da Serra, que engloba os municípios de Gramado e Canela, retorna para a classificação vermelha preliminarmente, segundo o mapa divulgado nesta sexta-feira (14). A 15ª rodada do Distanciamento Controlado contrariou a expectativa do bloco liderado por Caxias do Sul, que acreditava que poderia permanecer pela terceira semana seguida no risco médio de contágio para o novo coronavírus.

O município de Canela, que comemorou nesta quinta-feira (13) a inauguração de cinco leitos UTI Covid no Hospital de Caridade, lamentou a decisão. "Nosso hospital está equipado para atender à demanda, ou seja, Canela está fazendo a sua parte", disse o prefeito Constantino Orsolin.

A Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), que representa os municípios da Serra no sistema de Distanciamento Controlado confirmou que irá recorrer da decisão. O prefeito de Cotiporã e presidente da entidade, José Carlos Breda, disse que acredita na aceitação do pedido de reversão, porque mesmo com o aumento da ocupação dos leitos de UTI, todos os outros indicadores estão atingindo os resultados esperados pela região.

Para Constantino, a entidade deverá apresentar argumentos para que a macrorregião permaneça na laranja levando em conta a situação de municípios como Canela. "Independentemente da posição que será confirmada semana que vem, Canela vai acatar a decisão do Estado”, concluiu Orsolin.

HCC também implantou outros quatro leitos de suporte ventilatório

O Hospital de Caridade de Canela (HCC) que não tinha UTI, habilitou a unidade intensiva com apoio da comunidade, empresários e Prefeitura. A comissão de intervenção da casa de saúde habilitou cinco leitos temporários específicos para atendimento de casos de coronavírus. O investimento total aproximado foi de R$ 785 mil. Os custos com equipamentos e melhorias estruturais foram bancados pelo poder público e pela iniciativa privada. O HCC também implantou outros quatro leitos de suporte ventilatório na nova ala. O investimento mensal para manutenção da estrutura e da equipe profissional da UTI Covid-19 é estimado em R$ 450 mil.

 


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.