Publicidade
Notícias | Especial Coronavírus Demanda só aumenta

Hospital de Canoas recebe do governo gaúcho medicamentos do 'kit intubação' para apenas dois dias

No Hospital Universitário (HU) e no Hospital de Pronto Socorro (HPSC) a remessa é muito inferior ao esperado

Por Bruna Aquino
Publicado em: 23.03.2021 às 08:18 Última atualização: 23.03.2021 às 10:01

Morfina é um dos medicamentos do chamado 'kit entubação' Foto: Laira Sampaio/HU
A Secretaria Estadual da Saúde (SES) enviou no final da semana, a 28 hospitais gaúchos, medicamentos que compõem o chamado "kit intubação" - sedativos e relaxantes musculares utilizados para intubar pacientes em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). Dois desses hospitais são de Canoas: Hospital Universitário (HU) e Hospital de Pronto Socorro (HPSC), mas a remessa é muito inferior ao esperado. No HU, três dos cinco fármacos recebidos duram só dois dias.

São eles Morfina, Midazolam e Propofol. Os outros dois, Atracurio e Etomidato, servem para três dias e de três a quatro dias, respectivamente. "Claro que estas doses sempre ajudam, mas está longe de resolver", afirma a diretora assistencial do HU e do HPSC, Fatima Dornelles Farias. Ela garante que o HU tem estoque desse tipo de medicamento, mas o tempo pode variar conforme a demanda: "temos estoque, estamos organizando para que não falte, mas dependemos muito do mercado de medicamentos e do quanto vai diminuir essa pressão de pacientes graves na porta de entrada".

Leia notícias sobre coronavírus

Segundo Fatima, o hospital trabalha com três "planos" de sedativos e relaxantes. Em caso de faltar as substâncias do plano A, adota-se o plano B e, se necessário, o plano C. Isso garante a assistência necessária. "Dentro deste plano, ainda temos estoque", ressalta.

Mas a diretora faz um importante alerta: só agora os efeitos da bandeira preta são sentidos. "O consumo agora tende a reduzir porque estamos com menos pacientes graves na porta de entrada. Os efeitos do fechamento de comércio parecem estar surtindo efeito agora. Desse fim de semana em diante percebemos uma redução."

Nesse sentido, o retorno da cogestão preocupa: "A gente começou a colher os frutos do isolamento agora e temos muito medo que isso traga de volta aquela demanda de pacientes graves. Pelo menos mais uma semana ou duas deveria continuar tudo fechado", avalia Fatima.

Hoje, são 62 leitos de UTI Covid instalados no HU e outros 30 no HPSC, conforme dados da Prefeitura. Ainda há 40 leitos de terapia intensiva para pacientes graves infectados com coronavírus no Hospital Nossa Senhora das Graças.

A quantidade enviada ao Hospital de Pronto Socorro representa ser maior porque há menos leitos de UTI na unidade. Lá, a duração dessa remessa do governo gaúcho é a seguinte: Etomidato - 30 dias, Morfina - 20 dias, Propofol - seis dias, Adrenalina - seis dias, Atracurio - cinco dias. "Temos o triplo de leitos de UTI no HU", comenta Fatima.

Compra excepcional

Na última quinta-feira, o governo gaúcho repassou a 28 hospitais o total de 27.225 frascos de medicamentos do "kit entubação". São 16.550 frascos de Morfina, 8.750 frascos de Atracúrio 2,5 ml, 1,5 mil frascos de Atracúrio 5 ml e 425 frascos de Etomidato. Os fármacos foram adquiridos via Secretaria Estadual da Saúde (SES) com recursos do Tesouro do Estado, por meio de ata de registro de preço do Ministério da Saúde.

Para a distribuição das substâncias, a SES contou mais uma vez com o auxílio do Exército. A remessa saiu na manhã de quinta do 3º Batalhão de Suprimento, em Nova Santa Rita.

De acordo com o Piratini, os hospitais beneficiados foram os que relataram estoque crítico desses insumos frente ao aumento da demanda de pacientes em condições graves de Covid-19 e a dificuldade de aquisição no mercado privado.

Os medicamentos não fazem parte da rotina de compra da Assistência Farmacêutica do Estado, mas em função das dificuldades relatadas pelas instituições hospitalares, a Secretaria da Saúde fez a compra dos insumos em caráter excepcional, para garantir a continuidade da assistência aos pacientes de Covid.

A necessidade reflete o cenário nacional de alta demanda por anestésicos e bloqueadores neuromusculares. A SES faz um levantamento semanal com os hospitais gaúchos do estoque de um total de 22 medicamentos utilizados para a entubação em UTIs.

Preços do medicamentos têm alta brusca

"Os fabricantes não estão conseguindo atender à demanda", lembra Fatima, que ainda cita uma outra pedra nesse caminho: o preço desse tipo de medicamento. "Segundo o nosso financeiro, só na última semana houve um aumento de 30%. Se for considerar toda a pandemia, aumentou em torno de uns 500%."

Na sexta-feira, a SES solicitou ao Ministério da Saúde a importação urgente dos medicamentos sob risco de haver desabastecimento.

Em julho do ano passado, foi feita compra no mercado uruguaio. A ação foi batizada de Operação Uruguai. Em agosto, o governo federal faria nova aquisição junto ao país vizinho, mas cancelou "sem justificativa", segundo o Conselho Nacional de Saúde.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.