Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Gramado BUSCAS EM ÓRGÃOS PÚBLICOS

Presidente da Câmara de Vereadores e secretário de Obras de Canela são presos por suspeita de corrupção

Alberi Dias (MDB), Luís Claudio da Silva (conheceido como Ratinho) e o interventor do Hospital de Caridade, Vilmar Santos, foram presos na ação da Polícia Civil

Publicado em: 08.11.2021 às 07:17 Última atualização: 08.11.2021 às 11:01

Foram presos por suspeita de corrupção em Canela o presidente da Câmara de Vereadores, Alberi Dias (MDB), o secretário de Obras Luís Claudio da Silva (conhecido como Ratinho) e o interventor do Hospital de Caridade (HCC), Vilmar Santos, que também é presidente da sigla emedebista e assessor jurídico.

Além da prisão preventiva dos três, foram afastados do cargo o secretário de Turismo de Canela, Ângelo Sanches, o subsecretário de Obras e vice-presidente do MDB, Osmar Bonetto, e Denis de Souza, CC da Secretaria de Obras.

O delegado titular da Delegacia de Polícia de Canela, Vladimir Medeiros, revela que "a investigação ocorre há cerca de 9 meses e iniciou em um caso aparentemente de desvios de materiais de construção dentro do Hospital de Canela, mas depois que a investigação se iniciou nós conseguimos apurar um complexo esquema de corrupção."


A ação é realizada simultaneamente em Gramado, Porto Alegre e região metropolitana, e em Santa Catarina.

A Polícia Civil, com 175 policiais, cumpre 176 medidas judiciais neste momento.

São 44 mandados de busca e apreensão ao todo.

Pego de surpresa

Nesta manhã, ao chegar à Câmara de Vereadores, o prefeito de Canela, Constantino Orsolin, afirmou que não sabia do esquema. "Fui pego de surpresa, não sabia de nada", declarou à reportagem.


 

INVESTIGAÇÃO

A Operação Caritas combate corrupção, fraudes em licitações, peculato, concussões, falsidade ideológica e documental, além de organização criminosa constituída por servidores do Executivo e Legislativo do município de Canela.

Além das prisões e buscas, a ação cumpre afastamento de sigilos bancário e fiscal, bloqueio de valores e sequestros de imóveis e veículos dos envolvidos. 

A operação é coordenada pela Regional da Polícia Civil de Gramado e conta com apoio das Regionais de Caxias do Sul e de Montenegro, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e do Laboratório de Lavagem de Dinheiro do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos (GIE).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.