Publicidade
Notícias | Novo Hamburgo Caso foi em abril

Após perda de investimentos, grupo sequestrou sócio da Indeal

Entre os investigados, polícia e trader pediam mais de R$ 2 milhões em bitcoins para libertar o homem de 47 anos

Publicado em: 18.11.2020 às 11:22 Última atualização: 18.11.2020 às 15:06

Operação Talião cumpriu mandados em Canoas, Sapucaia do Sul, Porto Alegre e Campo Bom Foto: Polícia Civil/Especial
Um policial, um trader de investimentos e o pai de um deles estão entre os investigados pelo sequestro de um dos sócios da Indeal. O grupo, que contou com a participação de pelo menos cinco pessoas, pedia o pagamento de 50 bitcoins (moeda virtual), quantia avaliada em R$ 2.814.899,18. A vítima, de 47 anos, foi arrebata pelos criminosos às 8h30 do dia 29 de abril deste ano. O resgate não chegou a ser pago, mas a vítima foi libertada horas depois em Canoas, por volta das 17 horas.

Nesta quarta-feira (18), a Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão contra os suspeitos por meio da Operação Talião. 

Durante a investigação, os agentes reuniram indícios suficientes da participação de três dos criminosos. Os mandados foram cumpridos mandados em Canoas, Sapucaia do Sul, Porto Alegre e Campo Bom. 

Represália após perda de investimento

Segundo a Polícia Civil, as investigações apontam que a extorsão mediante sequestro se deu em represália a perda de valores que teriam sido investidos, pelos autores, na empresa, cuja vítima de sequestro era um dos sócios. A empresa fora alvo de investigações pela Polícia Federal, na Operação Egypto.

A Polícia Civil informa que as investigações prosseguem com a finalidade de se identificar os demais autores do fato.

Denúncias podem ser feitas  pelo disque-denúncia no 0800-510 2828, pelo WhatsApp e Telegram (51) 98444-0606.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.