Publicidade
Notícias | Novo Hamburgo Imunização

7,5 mil pessoas ficam sem a segunda dose da CoronaVac em Novo Hamburgo

Prefeitura também está fazendo busca ativa por 1.200 pessoas que não foram aos drive-thrus

Por Joyce Heurich
Publicado em: 27.05.2021 às 03:00 Última atualização: 27.05.2021 às 11:19

CoronaVac Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
Quem recebeu a primeira dose de CoronaVac a partir do dia 8 de abril e está com a segunda aplicação atrasada em Novo Hamburgo vai ter que esperar uma nova remessa do Estado para completar o esquema vacinal. São cerca de 7,5 mil pessoas nessa situação, conforme estimativa da Prefeitura. O Município alega que as últimas doses enviadas pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) são insuficientes e não contemplam esse público.

Enquanto isso, a meta é concluir o esquema vacinal daqueles que receberam a primeira aplicação até o dia 7 de abril. Três edições de drive-thru foram realizadas na cidade com esse intuito, porém, aproximadamente 1,2 mil pessoas que pertencem a esse grupo não compareceram. Agora, a Prefeitura faz busca ativa desses moradores, que serão vacinados nos postos de saúde com as doses de CoronaVac que restaram da remessa mais recente.

Leia notícias sobre coronavírus

No aguardo

Como algumas cidades do RS comunicaram a falta de doses, enquanto outras relataram sobra, o Estado não descarta um remanejamento coordenado pela SES para equilibrar a situação da CoronaVac. Essa avaliação, entretanto, ainda não foi feita e não tem data para ocorrer.

"A Secretaria da Saúde precisa que os municípios finalizem as aplicações e os registros para tomar as providências, caso realmente faltem D2 no Estado. Entre as providências que podem ser tomadas está o remanejamento de doses entre os municípios e pedido emergencial ao Ministério da Saúde", informa a pasta.

Prazo para novas doses ainda é incerto

Mas, afinal, quando chegarão novas doses ao RS? As autoridades não confirmam uma data. A Prefeitura depende do envio por parte do Estado. A Secretaria Estadual da Saúde, por sua vez, depende do Ministério da Saúde, que aguarda o recebimento de novas doses do Instituto Butantan.

O próximo envio, segundo a fabricante, deve ocorrer somente daqui a duas semanas. O atraso na fabricação de novas vacinas se justifica pela demora na liberação do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) - insumo que vem da China, indispensável para a produção dos imunizantes.

Na terça-feira, o Instituto Butantan recebeu três mil litros do IFA para a produção de 5 milhões de doses.

A matéria-prima, enviada pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Butantan, passará pelos processos de envase, rotulagem, embalagem e por um rígido processo controle de qualidade para que a vacina seja entregue ao PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde. Todo esse processo pode levar entre 15 e 20 dias, conforme o Butantan.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.