Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Novo Hamburgo SAÚDE NA MANUTENÇÃO

Samu de Novo Hamburgo segue com defasagem de ambulância

Base enfrenta dificuldades com suas viaturas desde a semana passada

Por João Linden
Publicado em: 30.11.2021 às 20:06 Última atualização: 30.11.2021 às 21:46

Os problemas enfrentados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Novo Hamburgo (Samu) em suas ambulâncias seguiram nesta terça-feira (30). No início da noite, a Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo (FSNH) confirmou que havia defasagem de pelo menos uma ambulância de suporte básico.

Base do Samu também não tem estacionamento coberto
Base do Samu também não tem estacionamento coberto Foto: Divulgação

Conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a base hamburguense deveria operar sempre "com uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USB)". A única USB disponível ainda nem pertencia à frota do Samu – fora emprestada pela Prefeitura à FSNH.

A fundação ainda alega que há outras três viaturas para transporte de pacientes (também do Município), mas os servidores contrapõem dizendo que eles não agregam praticamente nada ás necessidades do Samu. "Não entra nem maca nessas", explicou um servidor que não quis se identificar.

Os problemas na frota do Samu se arrastam há pelo menos dois meses, mas se intensificaram na última sexta-feira. Para contornar o problema, o Estado enviou uma USA de sua reserva técnica a Novo Hamburgo.

O problema é que essa viatura foi pouco utilizada e também apresentou problemas mecânicos, confirmados pela própria SES. "Essa que o Estado mandou está com uma pane elétrica: a sirene desliga, a ambulância não consegue se manter ligada também. Pensa em um caos", revelou outro funcionário que também optou por preservar a identidade.

Entre o socorristas, há o temor pela segurança. "Há problemas que botam a ambulância e toda equipe, além do paciente, em risco. É um veículo de emergência, tem que andar rápido", complementou o trabalhador.

Atualmente a base de Novo Hamburgo possuí mais ambulâncias paradas para reparos em uma oficina do que rodando e à disposição da população. Há quatro veículos da frota do Samu – e outro da Prefeitura – aguardando reparos. A previsão da FSNH é de que as viaturas retornem ao serviço "ainda nesta semana." 

Viaturas não tem nem garagem

O programa arquitetônico mínimo para uma base do Samu, atualizado pelo Ministério da Saúde em 2018, exige um "estacionamento coberto para o total de ambulâncias existentes". Classificada como "ambiente mínimo obrigatório", a demanda não é atendida na base hamburguense, onde as viaturas ficam ao ar livre. Indagada, a FSNH diz que uma nova base está no "planejamento futuro", mas sem precisar data.

Entenda a situação

As primeiras denúncias de servidores do Samu sobre a manutenção precária das ambulâncias aconteceram em setembro. Nos últimos dois meses as reclamações escalonaram na mesma proporção em que as condições dos veículos preocupavam. Na última sexta-feira o Corpo de Bombeiros foi acionado, pois o Samu não tinha viaturas suficientes para atender. Funcionários relataram que o serviço chegou a ficar sem ambulâncias por 15 horas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.