Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Novo Hamburgo FEMINICÍDIO

Jovem é baleada em casa e morre no Hospital Municipal, onde marido acaba preso

Homem chegou a socorrer vítima sob escolta da Guarda, com versão de assalto no bairro Primavera, mas foi desmascarado na emergência

Por Silvio Milani
Publicado em: 24.01.2022 às 21:00 Última atualização: 25.01.2022 às 07:23

Uma jovem de 19 anos foi baleada no bairro Primavera, em Novo Hamburgo, e morreu logo depois no Hospital Municipal, na tarde desta segunda-feira (24). Ela foi socorrida pelo marido, de 31 anos, que chegou a ter o carro escoltado pela Guarda Municipal, para agilizar o atendimento. Ele alegava assalto, mas acabou preso por feminicídio.

William Renan de Mello, conhecido como Ranho, foi avistado na frente de casa, na Rua São Pedro do Sul, por volta das 16h30, colocando uma mulher ensanguentada no carro. Era a esposa, Amanda Guerin Miranda. Ele disse aos guardas que a jovem tinha sido baleada em assalto. Os agentes sinalizou o trânsito para a vítima chegar o mais rápido ao hospital. Não adiantou. A morte foi confirmada na emergência.

A arma

Em nova conversa com o marido, os guardas perceberam contradições e versões diferentes. Voltaram à casa e, na vizinhança, receberam relatos de que Mello havia atirado em Amanda. Na residência, havia um revólver calibre 38 escondido, com uma munição deflagrada e cinco intactas. É a possível arma do crime, que será levada à perícia.


Indiciado tinha vários antecedentes criminais

Ainda no hospital, a Brigada Militar prendeu Mello e o levou à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento. Segundo a titular da Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher de Novo Hamburgo, Raquel Peixoto, o marido foi indiciado em flagrante por feminicídio. As circunstâncias são apuradas.

Ele já tinha antecedentes policiais por ameaça, cumprimento de mandado, desacato, direção perigosa, extorsão, furto qualificado, lesão corporal, lesão corporal culposa, posse de entorpecentes, receptação, roubo de veículo e violar suspensão do direito de dirigir. A vítima não tinha antecedentes.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.