Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Novo Hamburgo TRANSPORTE PÚBLICO

Entenda a nova licitação para os ônibus em Novo Hamburgo

Entre as principais mudanças estão linhas circulares nos bairros e veículos com acessibilidade e câmeras

Por Matheus Chaparini
Publicado em: 06.04.2022 às 03:00 Última atualização: 06.04.2022 às 14:11

O edital da licitação do transporte público de Novo Hamburgo, lançado na terça-feira (5), envolve uma série de mudanças, que devem começar já em 2022. As alterações mais significativas previstas pelo documento são a implantação de cinco linhas troncais, ligando bairros com maior número de usuários ao Centro, e linhas circulares intrabairro, além da implantação do sistema de bilhetagem eletrônica.

Novo edital para licitar serviço de ônibus em Novo Hamburgo
Novo edital para licitar serviço de ônibus em Novo Hamburgo Foto: Arquivo
A reestruturação operacional tem como objetivo dar mais rapidez, segurança, eficiência e viabilidade econômica ao serviço.

Todos os ônibus deverão contar com acessibilidade, câmeras de segurança, sistema de avaliação do serviço e botão de pânico. O edital prevê ainda a integração física e tarifária entre as linhas.

No início da operação, a empresa vencedora deverá apresentar 20 ônibus com ar-condicionado e, até o fim do contrato, metade da frota deverá estar equipada com ar-condicionado.

Empresas de todo o País podem enviar propostas até o dia 12 de maio. Vence a concorrência quem apresentar menor preço da tarifa, cumprindo as exigências previstas. O contrato é de dez anos, podendo ser renovado por mais dez, se forem atingidas as metas definidas no edital. A empresa ou o consórcio que vencer a concorrência terá seis meses para assumir o serviço, a partir da ordem de início emitida pela Prefeitura.

Revisão do Tribunal de Contas

Desde 2010, foram ao menos seis tentativas do poder público de licitar o serviço. A mais recente delas, já no governo de Fatima Daudt, esbarrou em questionamentos judiciais. Em 2019, a prefeitura cancelou a licitação depois que uma das empresas que atualmente presta o serviço conseguiu a suspensão da concorrência na Justiça.

“Decidimos retirar e fazer um novo porque quando judicializa pode virar uma luta sem fim”, afirmou a prefeita em entrevista à rádio ABC nesta terça (5) pela manhã. Fatima destaca que a nova licitação está sendo acompanhada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

“Demorou um pouco mais porque veio a pandemia e não podíamos fazer as audiências públicas. Agora, fizemos as audiências e o edital está todo revisado pelo Tribunal de Contas. Esse é o momento e é muito importante para a cidade. Precisamos muito que essa licitação ocorra”, diz a prefeita.

O que prevê o edital
Terminais de integração

Para agilizar a ligação dos bairros com maior demanda ao Centro, está prevista a criação de cinco linhas troncais: Boa Saúde, Santo Afonso, Canudos Aeroclube, Canudos Esmeralda e São José. Estas linhas serão alimentadas por linhas circulares, que transitarão nos bairros.

Serão implantados terminais nas ruas Farroupilha, bairro São José, e na Rua dos Bosque, no Boa Saúde. Nas demais linhas, a integração será na estação Santo Afonso, do Trensurb, e na Praça Centenário, no Canudos.

Bilhetagem eletrônica

Desde o ano passado, a Companhia Municipal de Urbanismo (Comur) trabalha na criação do Sistema de Bilhetagem Eletrônica, que deve estar pronto e instalado nos ônibus quando a nova empresa assumir o serviço. De acordo com a prefeitura, o sistema permitirá cobrança eletrônica da tarifa, compra de passagens via Internet ou em estabelecimentos cadastrados, reconhecimento facial do usuário e a gestão e a operação da frota.

Também deve estar disponível o aplicativo para celulares com informações sobre linhas, horários, distâncias, tempo de viagem e integrações, entre outras.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.