Publicidade
Notícias | País PROJEÇÃO

Setor calçadista deve crescer mais que o PIB em 2022

Assim como em 2021, as exportações devem ser o motor do crescimento do setor calçadista no ano que vem

Publicado em: 07.10.2021 às 11:09

O setor calçadista prevê crescer 12,2% em 2021. Já para o ano que vem, com uma projeção de crescimento da economia brasileira estimada em 1,57%, a previsão é de que o setor cresça 2,6%, números que estão sendo constantemente revisados. Os dados foram apresentados ontem, em evento realizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). O Análise de Cenários, ocorrido no formato digital, contou com apresentações da coordenadora de Inteligência de Mercado da Abicalçados, Priscila Linck, e do doutor em economia e consultor setorial Marcos Lélis.

Indústria calçadista - Boaonda
Indústria calçadista - Boaonda Foto: Divulgação

No cenário internacional, algumas dúvidas deixam a economia brasileira em compasso de espera. As duas principais são o aumento da inflação nos Estados Unidos, que deve fazer com que o País eleve sua taxa de juros, e o desaquecimento da economia chinesa, evidenciada nas dificuldades da Evergrande. “O aumento da taxa de juros nos Estados Unidos irá diminuir a liquidez no mercado mundial, tendo impacto considerável no câmbio e na inflação brasileira, que já está alta”, explica Lélis, ressaltando que analistas já projetam inflação de dois dígitos até o final do ano.

Ele destacou, ainda, que o Brasil não recuperou os empregos perdidos durante a pandemia, o que reflete na queda da confiança dos consumidores, que tem impacto direto no consumo doméstico, justamente onde são comercializados mais de 85% dos calçados produzidos no País.

Expectativas para 2022
Para 2022, mesmo em meio a um cenário de incertezas, especialmente no mercado doméstico, a Inteligência de Mercado da Abicalçados aponta para uma expectativa de crescimento médio de 2,6% na produção de calçados, totalizando 879 milhões de pares, 22 milhões a mais do que a projeção para o ano corrente. Mesmo com o resultado, segundo Priscila Linck, a atividade ainda ficaria abaixo dos níveis pré-pandemia, em 2019, em cerca de 6%. Em 2019, foram produzidos 936 milhões de pares de calçados. “Para alcançar os níveis pré-pandemia o setor deverá crescer 9% no próximo ano, o que é muito difícil devido à conjuntura econômica”, explica.

Assim como em 2021, as exportações devem ser o motor do crescimento do setor calçadista em 2022 (neste o ano a previsão é de um crescimento 25%, em pares, na relação com 2020). Segundo projeções da Abicalçados, em 2022 as exportações, em volume, devem crescer 5,1%, ficando 7% acima do resultado de 2019. Em números fechados, o setor deve exportar 124 milhões de pares, 6 milhões a mais do que a projeção de 2021. Com o resultado, o coeficiente de exportação - percentual da produção nacional exportado - deve passar de 12% para 14%.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas
Botão de Assistente virtual