Publicidade
Acompanhe:
NH Hoje
Notícias | Região Expectativa

Comércio projeta aumento de até 5% nas vendas com o Dia das Mães

Data é a segunda mais importante para o varejo

Por Juliana Nunes
Última atualização: 09.05.2019 às 07:45

Foto por: Juliana Nunes/GES-Especial
Descrição da foto: Preparação: floriculturas já sentem aumento no movimento
O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o comércio, ficando atrás apenas do Natal. A expectativa, segundo a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), é que neste ano as vendas aumentem de 7 a 8% no Estado. Para o presidente da entidade, Vitor Augusto Koch, o período possui forte apelo emocional, motivando os consumidores às compras. Além disso, garante haver otimismo por parte da população em relação à economia brasileira. "A modesta, mas importante, retomada do emprego gaúcho no ano passado também somará um novo grupo de consumidores incluídos na disposição de presentear as mães", inclui Koch.

Em Novo Hamburgo, o clima é positivo, embora o crescimento seja mais tímido. A projeção é que fique entre 2% e 3%, conforme estimativa do Sindicato do Comércio Varejista de Novo Hamburgo (Sindilojas-NH). "O Dia da Mães sempre traz uma expectativa positiva no comércio nacional. A economia está em um ascendente e isso faz o nosso otimismo ser grande", avalia o presidente da entidade, Remi Scheffler. A Câmara dos dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo (CDL-NH) espera aumento maior. O presidente do órgão, Jorge Stoffel, prevê incremento de 5% nas vendas locais. "O Dia das mães é uma data muito importante, que movimenta vários segmentos, como restaurantes, vestuário e floriculturas", salienta.

Flores entre a preferência de presentes

De acordo com o levantamento feito pela FCDL-RS, roupas, calçados, artigos de uso pessoal, móveis e eletrodomésticos serão os grupos de consumo mais procurados nesse período. E a expectativa é que o gasto médio dos gaúchos com a compra dos presentes para as mamães fique em R$ 212,00. "Cerca de 6% a mais do que foi gasto em 2018", observa, Vitor Augusto Koch.

Em Novo Hamburgo, conforme Scheffler, a preferência deve ser a mesma dos últimos anos. "Flores, perfumaria, moda íntima, eletroeletrônicos e joias. Mas a floricultura ganha disparado", diz. E é exatamente neste clima que diversas floriculturas da cidade vêm apostando em decorações e presentes para a data. Em uma loja do bairro Rio Branco, em Novo Hamburgo, o incremento nas vendas chega a 300% nesta data. E comparando ao ano passado deve haver ainda um aumento de 10% na loja física e 15% no e-commerce. "No nosso seguimento, o Dia das Mães é o Natal. Recebemos encomendas de quem mora aqui na região e até de gente que vive fora do País, mas não deixa de presentear sua mãe", conta o proprietário da floricultura, Ricardo Model.

Investimento

O valor gasto é menor que o Dia dos Namorados, mas se ganha em quantidade de vendas. "No Dia das Mães, quem presenteia são os filhos, esposos e até netos. Nós até aumentamos o quadro de funcionário em 80% para dar conta da demanda", reforça Model, que também fala sobre os itens mais procurados nesta época. "Cestas de café da manhã e flores, especialmente as orquídeas e lírios", especifica. A demanda é tanta que a atendente da floricultura Deise Silva, 32 anos, está constantemente falando com os clientes pelo Whastapp. Segundo ela, o movimento começa a aumentar já na véspera da data. "Temos muita encomenda pelo smartphone. Eu ainda não comprei presente da minha mãe, mas acho que também vou dar cesta e uma orquídea", revela Deise. 

Consumo consciente

O levantamento da FCDL-RS mostra também que o pagamento à vista deve ser priorizado nas compras para as mamães neste ano. E quem optar pelo parcelamento deve fazê-lo em até quatro prestações. Por isso, segundo a entidade, é importante que os lojistas trabalhem com promoções que priorizem vantagens ao pagamento à vista pelo consumidor.

É o que pensa também a CDL de Novo Hamburgo. "O crescimento na venda de Dia das Mães depende muito do trabalho que cada lojista fará para atrair clientes, que vai muito da forma de se comunicar, expor produtos na loja e fazer promoções, muito importante que se tenha essa visão", observa Stoffel.

Para o presidente do Sindilojas Novo Hamburgo, Remi Scheffler, é preciso ficar atento ao consumo consciente, que segundo ele é bom para o cliente e também para o lojista. "Uma dica para o consumidor é: não compre por impulso. Pesquisas apontam que quem compra assim, mais adiante se dá conta e acaba culpando a loja, que por sua vez perde o cliente. Então, o ideal é que o consumidor vá em pelo menos duas lojas e consulte preços antes de se decidir. Se comprar virtualmente, verifique que aquela empresa é idônea. Precisamos que o consumidor compre consciente e com prazer", avalia Scheffler.

 

Sem obras no sábado para fluxo de carros e pessoas

Para Scheffler, a situação de Novo Hamburgo é um pouco diferente de outras cidades do Estado, porque passa por uma grande obra de revitalização no Centro, onde se localiza boa parte do comércio. “A maioria dos lojistas perdeu cerca de 60% do fluxo. Mas estamos em diálogo frequente com a prefeita Fatima Daudt e, por isso, a obra está tendo essa pausa nos dois sábados que antecedem o Dia das Mães”, pontua. Segundo o presidente do Sindilojas-NH, isto ocorre para que um maior número de pessoas possa transitar pelo Centro.

Depois do domingo de Dia das Mães, a obra será retomada normalmente também aos sábados. “E nossos lojistas estão também preparados para a data. Com certeza, teremos este saldo positivo em relação ao ano passado”, ressalta.

Fluxo

Assim como no último sábado, no próximo as obras param e haverá acesso livre para veículos e pedestres em todas as ruas centrais. O pedido foi acatado pelo Consórcio Encopav/Coesul. Os trabalhos de revitalização do Centro são executados pela Prefeitura de Novo Hamburgo por meio do Programa de Desenvolvimento Municipal Integrado (PDMI) financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e a expectativa é que elas sejam concluídas até outubro deste ano.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.