Publicidade
Acompanhe:
NH Hoje
Notícias | Região Investigação

Polícia apura fraude em contrato de empresa com secretaria de saúde de Estância

Contratada cobrava por exames que não eram realizados ou informava número maior de procedimentos

Última atualização: 14.05.2019 às 07:59

Foto por: Polícia Civil/ Divulgação
Descrição da foto: Mandado são cumprindos em Estância Velha, Novo Hamburgo, Dois Irmãos e Mostardas
A Polícia Civil deflagou uma operação para desarticular um possível esquema fraudulento dentro da secretária de Saúde de Estância Velha. Na mira, está um contrato milionário firmado entre a secretaria e empresa Previne, que realiza exames de imagens para o município. De acordo com a investigação da Polícia Civil, há indícios de irregularidades nos mais de R$ 2 milhões já recebidos pela empresa.

A investigação aponta que a empresa cobraria por exames que não eram realizados ou informava número maior de procedimentos.

A Operação Anamnese, deflagrada nesta terça-feira (14), é coordenada pela Delegacia de Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária (Deat) da Polícia Civil. São cumpridos dez mandados de busca e apreensão e outros oito de prisão temporária na secretária de Saúde e na prefeitura de Estância Velha e também em endereços nas cidades de Novo Hamburgo, Dois Irmãos e Mostardas.

Foto por: Ruan Nascimento/ GES-Especial
Descrição da foto: Secretária da Saúde interina, Eloise Gernhardt, foi presa em casa, na Rua Anita Garibaldi
Segundo a Polícia, são investigados servidores públicos, entre eles, a ex-secretária da Saúde Ana Paula Gularte Macedo, o secretário da Saúde licenciado, Mauri Martinelli, e a secretária da Saúde interina, Eloise Gernhardt, além de empresários.

Contra Eloise havia um mandado de prisão temporária que já foi cumprido. Ela foi presa em casa, na Rua Anita Garibaldi, no Centro de Estância. Outras três pessoas também haviam sido presas até as 7h50, mas a Polícia ainda não confirmou as identidades. 

De acordo com a investigação, a empresa Previne foi comprada recentemente e a atual gestão não teria envolvimento com o esquema. A fraude teria sido executada durante a administração do empresário anterior.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.