Publicidade
Notícias | Região Segue investigação

Autor de disparo que matou adolescente em São Leopoldo se apresenta à Polícia

Crime aconteceu na madrugada de segunda-feira no bairro Feitoria

Por Renata Strapazzon
Última atualização: 11.09.2019 às 08:09

O autor do disparo de arma de fogo, que causou a morte de um adolescente de 17 anos na madrugada de segunda-feira (9), em São Leopoldo, se apresentou à polícia. Na tarde desta terça-feira (10), o homem de 59 anos, compareceu à Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) para dar a versão dele dos fatos ao delegado Ivair Matos Santos. Conforme o delegado, o homem, que é proprietário de uma oficina mecânica, alegou ter se defendido de uma tentativa de furto.

“Disse que durante a madrugada ouviu barulhos em sua oficina. Por ser comum tentarem roubar veículos que ficam em frente ao estabelecimento foi verificar, pois os cachorros estavam latindo muito. Nesse momento, viu dois indivíduos entre os carros. Então os espantou. Eles saíram correndo e o homem saiu atrás deles, quando teria escutado outra pessoa gritar “perdeu, tio”, sendo que um dos dois jovens que estavam entre os carros fez um gesto como se fosse sacar uma arma. Foi então que desferiu dois disparos contra ele”, explica Santos. Ao delegado, o homem apresentou um registro vencido de um revólver calibre 32. Ele não entregou a arma à polícia, uma vez que disse a ter perdido enquanto estava correndo logo após os disparos.

O fato aconteceu na Rua Professor Clauss Saenger, no bairro Feitoria. A vítima fatal foi identificada como Matheus Rosalvo Severo Castro. Atingido por um tiro no peito, Castro chegou a ser socorrido ao Hospital Centenário onde acabou falecendo durante atendimento médico. Um amigo do adolescente, um jovem de 19 anos, que estava com ele no momento do crime, também já prestou depoimento à polícia. No dia do fato, aos investigadores, a testemunha falou que ela e o menor caminhavam pela via quando na esquina com a Rua Malta viram um homem com uma arma em punho. O suspeito, de acordo com o jovem, teria gritado as palavras "vão, vão" e em seguida atirado, pelo menos, cinco vezes contra a dupla, acertando apenas Castro. Conforme a polícia nenhum dos três envolvidos no caso possuía antecedentes.

De acordo com o delegado, após prestar depoimento, o autor confesso do crime foi liberado. Segundo ele, as investigações seguem até a conclusão do inquérito, que deve ocorrer nos próximos dias. “Durante a investigação vou decidir se peço ou não a prisão preventiva dele. Tudo indica que indiciarei ele por homicídio doloso (quando há intenção de matar), se durante o inquérito não tiver nenhum elemento que mostre que os rapazes tentaram sacar uma arma, até porque ela não foi encontrada e ele mesmo disse depois não ter visto a arma”, pontua Santos. 


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.