Publicidade
Notícias | Região Crise

Em Estância, MDB diz que Ivete foi traída por Luciano e exige expulsão do vice

Legenda da prefeita coloca a exclusão de Luciano Kroeff como condição para manter aliança com Cidadania

Por João Victor Torres
Última atualização: 20.10.2019 às 21:40

Prefeita Ivete Grade
A crise instaurada entre os partidos que governam a cidade de Estância Velha ganhou novos capítulos e encaminham ruptura na aliança entre MDB e Cidadania. A relação já bastante conturbada e frágil praticamente inexiste desde que o vice-prefeito Luciano Kroeff (Cidadania), durante as férias da prefeita Ivete Grade (MDB), exonerou nove cargos de confiança - todos eles ligados à cúpula emedebista. A partir de então, Ivete antecipou o retorno ao trabalho e rompeu com o vice. 

Na última semana, lideranças emedebistas enviaram uma carta à prefeita e também ao presidente municipal do Cidadania, Edenílson Klaus, em que exigem expulsão de Kroeff. Essa é a condição do MDB para evitar a ruptura da coligação, que como consequência, resultaria na demissão dos cargos em comissão na cota do partido do vice. Em recente entrevista concedida ao Jornal NH, Ivete disse que pretendia acatar a deliberação partidária que seria anunciada em encontro com os filiados. 

Vice-prefeito Luciano Kroeff Foto: João Victor Torres/GES-Especial
Com isso, a manutenção da coalizão passa exclusivamente pela saída de Luciano Kroeff do Cidadania. A Executiva emedebista cita, no documento, que as atitudes do vice ocasionaram um rompimento nos "laços de confiança" que são "indispensáveis para a continuidade do trabalho conjunto que vem sendo efetivado até este momento". Além disso, a carta assinada por Sérgio Werle, presidente do MDB estanciense e vereador, avalia que Kroeff "não está apto a tomar decisões de forma ética na função de liderança que detém, que representem esta coligação e, diante disso, pedimos providências imediatas", acrescenta. 

A Executiva emedebista não estabelece prazo para que ocorra a expulsão de Kroeff. "Não há uma definição quanto a isso, mas eu já conversei com o presidente do Cidadania e vamos esperar até o final da próxima semana", explicou Werle. 

Em outro ponto da carta, os caciques do MDB tecem duras críticas ao vice-prefeito e dizem que as atitudes tomadas por ele apenas tiveram impacto midiático, bem como, classificam que elas serviram para trair Ivete e denegrir sua imagem. "Considerando o ato de traição do prefeito em exercício Luciano Kroeff ao tomar medidas de exoneração de cargos de confiança sem diálogo prévio com a prefeita, agindo de má fé, e com intuito claro de autopromoção, ação de impacto midiático e desestruturação gestora", complementa, por meio do documento.

Procurado, Klaus não atendeu aos telefonemas feitos pela reportagem para comentar o caso.

Vice alega que não há motivo para expulsão

Luciano Kroeff concedeu entrevista neste domingo (20) e afirma, categoricamente, que as atitudes tomadas no período de prefeito em exercício de Estância Velha não implicam em nenhuma infração ao partido. "Qual o motivo para eu ser expulso do Cidadania? Esta é a primeira pergunta que eu faço, se não prejudiquei a legenda", destacou. "Não entendo esta posição do MDB e nunca vi nada parecido, de outro partido pedir a expulsão de um filiado", acrescentou Kroeff.

Entenda o caso

No dia 10 de outubro, Luciano Kroeff exonerou nove cargos de confiança do MDB. O argumento para a decisão foi corte de gastos. Foram demitidos três secretários municipais, três diretores de departamentos e mais três assessores. Aurea Bauer, da Administração e Segurança Pública; Vanessa Eltz, da Fazenda; e Sérgio Werle, do Desenvolvimento Social; deixaram seus cargos. Entre as figuras próximas à prefeita Ivete Grade, a chefe de Gabinete, Flávia Rodrigues, não figura mais no primeiro escalão.

Já no segundo escalão, Gilmar Pereira saiu da diretoria do Turismo; Sabrina Dutra; de Nutrição na Secretaria Municipal de Educação e Cultura; e Enio Elias, no Meio Ambiente e Preservação Ecológica. Além deles, os assessores Bruno Loreto e Angela Oliveira foram exonerados.

Após retornar de férias antecipadamente, Ivete - que foi indiciada pela Polícia Civil nesta mesma data ao lado de mais 13 pessoas por fraudes em contratos da Saúde - classificou a determinação do vice como "impensada". Porém, mesmo assim, readmitiu apenas uma das nove pessoas exoneradas. Trata-se da secretária municipal da Fazenda, Vanessa Eltz (MDB), que retornou aos trabalhos na quarta-feira (16).

Procurado, Kroeff rebateu a afirmação da prefeita ao comentar as exonerações. "Se a minha atitude foi impensada, ela poderia readmitir os nove cargos", disse.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.