Publicidade
Notícias | Região Acompanhe o julgamento

Vereador Dula tem mandato cassado pela Câmara de Sapiranga

Parlamentar foi o primeiro dos três a ter o caso analisado na Casa

Por João Victor Torres
Última atualização: 19.11.2019 às 15:34

Câmara de Sapiranga julga mandatos de três vereadores Foto: Juarez Machado/GES
Na tarde desta terça-feira (19), a Câmara de Vereadores de Sapiranga define o futuro político de três parlamentares. Eles estão afastados pela Justiça desde 17 de julho por determinação do juiz Carlos Fernando Noschang, que decidiu retirar temporariamente do cargo Cesino Nunes de Carvalho, o Dula (PP), Valmir Pegoraro, o Baxo (PDT) e Leonardo Braga (PSDB). O caso é motivado por um suposto esquema de compra de voto na eleição da Mesa Diretora no ano passado. A partir de investigação da Polícia Civil, os progressistas e o pedetista foram indiciados por corrupção ativa. Enquanto que o tucano, por corrupção passiva.

Cesino Nunes de Carvalho, o Dula (PP) Foto: Divulgação
O primeiro vereador a ser julgado por quebra de decoro parlamentar  foi julgado e condenado por unanimidade. Em virtude disso, Cesino Nunes de Carvalho, o Dula (PP), perdeu o mandato. O progressista e mais dois colegas, que assim como Dula estão afastados temporariamente pela Justiça desde julho deste ano, por supostamente participar de esquema para compra de voto na eleição da Mesa Diretora, em dezembro passado.

O parlamentar não compareceu à sessão e a defesa foi conduzida pelo advogado Heitor Bigliardi. Durante sua manifestação, o procurador de Dula pregou que não ocorreu quebra de decoro e, que, além disso, seu cliente não aparece oferecendo ou nem mesmo possui qualquer mensagem emitida perante os fatos apurados pela Polícia Civil e motivaram abertura do processo político-administrativo.

A defesa, que teria direito a uma hora de uso na Tribuna para apresentar seus argumentos, mas utilizou apenas 15 minutos. Mesmo assim, os 15 vereadores presentes em Plenário não aceitaram os argumentos propostos por Bigliardi e cassaram o progressista.

Segundo julgamento em andamento

Logo na sequência, a presidente Olívia Steigleder (PP) deu início ao julgamento do segundo envolvido no caso. Está na Tribuna neste momento o advogado de Valmir Pegoraro, o Baxo (PDT), que é o segundo acusado. O pedetista deverá se manifestar na sequência. Por fim, o último a ter o caso analisado será Leonardo Braga (PSDB), que também está nas dependências da Câmara.

Já o quarto envolvido, Alessandro Melo (PP), teve o mandato cassado em agosto por quebra de decoro parlamentar ao ser preso em flagrante comercializando ilegalmente um revólver.

 

 

A denúncia

A Mesa Diretora encaminhou denúncia à Corregedoria da Câmara, no dia 22 de julho, para analisar a situação dos quatro vereadores. Como no decorrer deste período Melo já perdeu o mandato, ele foi excluído do processo político-administrativo. Com isso, a situação foi analisada levando em consideração a suposta quebra de decoro parlamentar.

 


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.