Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região Operação Inoccentia

Mais cinco são presos por compartilhar pornografia infantil pela Internet

Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente lançou nova ofensiva de combate a pedofilia na manhã desta quinta-feira (30). Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Canoas, Esteio, São Leopoldo e Porto Alegre

Publicado em: 30.07.2020 às 11:48

Foi lançada na manhã desta quinta-feira (30) a terceira fase da chamada Operação Inoccentia, ofensiva criada pela Polícia Civil para combater os crimes de pedofilia. Cerca de 45 agentes cumpriram mandados de busca e apreensão em Canoas, Esteio, São Leopoldo e Porto Alegre desde as primeiras horas do dia. Foram cinco suspeitos presos em flagrante por armazenamento e compartilhamento de material envolvendo pornografia infantil.

A apuração foi desenvolvida ao longo dos últimos seis meses pela Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA) de Canoas. De acordo com o delegado Pablo Rocha, que coordenou a investigação, foram mirados nesta etapa oito endereços e seis alvos suspeitos deste tipo de crime. "Identificamos alvos, que trocavam entre si, fotos e vídeos cujo conteúdo já foi analisado e comprovado ser material pornográfico, contendo cenas de sexo e de exibição pornográfica envolvendo crianças e adolescentes", explicou.

Já com os suspeitos identificados, o setor de investigação da DPCA passou a monitorar a conduta de cada um na Internet. "O crime ocorre justamente ao ser compartilhado este tipo de material", frisa o delegado. "Além disso, cada um dos consumidores de pornografia infantil é também um fornecedor de material a outros, facilitando a difusão e por consequência dificultando os trabalhos de rastreamento e localização da origem dos conteúdos", avalia.

Técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP) apoiaram o cumprimento dos mandados desta quinta-feira. Conforme ficou comprovado por eles, os suspeitos se valiam do uso de nomes falsos de pessoas que já morreram para criar contas visando o o compartilhamento da pornografia. "É uma das maneiras que eles encontraram para tentar ludibriar o rastreamento, no caso de uma investigação policial, mas não deu certo."

Empresário preso em Montenegro

Embora não tenha sido preso em flagrante nesta quinta-feira, esta etapa da operação incluiu a prisão de um empresário de 41 anos que vivia na cidade de Montenegro. A Polícia Civil chegou ao suspeito no último dia 15. Ao ser preso, aos policiais, ele confessou que acessava conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. "Chegamos até ele através das redes sociais, embora imaginasse permanecer anônimo e protegido quando acessava o material", aponta o delegado.

Já foram 27 pedófilos levados à cadeia

Criada em 2019 com o objetivo de se tornar uma ação permanente ao combate da pedofilia, a Operação Innocentia já levou, desde então, 27 pedófilos à cadeia. Diretor da 2ª Delegacia Regional Metropolitana [DPRM], o delegado Mario Souza afirma que a ofensiva sempre teve como característica não só coibir este tipo de crime, mas também evitar crimes mais graves. "Cada uma destas pessoas é um molestador infantil em potencial", defende. "Eles podem até não terem tocado em uma criança ou adolescente, mas sentem muita vontade, tendo em vista o tipo de conteúdo compartilhado pela internet."

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.