Publicidade
Notícias | Região Pandemia

Novas regras para frear a Covid-19 serão definidas hoje na região

Após classificação preliminar em bandeira preta, regiões e municípios realizam reuniões para fixar restrições maiores. Em São Leopoldo, Prefeitura propõe lockdown de uma semana

Por Priscila Carvalho
Publicado em: 22.02.2021 às 03:00 Última atualização: 22.02.2021 às 08:24

A definição sobre as regras que devem vigorar nos próximos dias no que diz respeito a tentar frear a disseminação do coronavírus deve acontecer hoje na região. No mapa preliminar da 42ª rodada do Distanciamento Controlado estadual, divulgado na última sexta-feira, tanto o bloco intermunicipal de Novo Hamburgo (R07) - que agrega São Leopoldo e Portão -, quanto o de Canoas (R08) - que inclui Esteio, Sapucaia do Sul e Capela de Santana -, foram classificados em bandeira preta, ou seja, de risco altíssimo pelo esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de disseminação do vírus. No Estado, outros nove blocos também restaram na mesma classificação.

No total, dez regiões entraram com pedido de recurso. Nem a R07, nem a R08 estão nessa lista, mas ambas buscam manter o sistema de cogestão - que será discutido pelo governo do Estado também nesta segunda, junto da análise dos recursos - e ajustar os protocolos regionais para que regras mais brandas sejam utilizadas.

Sem definição ainda

O presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Maneco Hassen, afirma que a entidade ainda não tem posição definida sobre a manutenção da gestão compartilhada do Distanciamento Controlado e que pretende ouvir o que o governador tem a propor. O encontro está previsto para ocorrer às 10 horas de hoje. De acordo com Hassen, há um consenso entre quase todas associações regionais de prefeitos quanto à necessidade de se ter medidas mais rigorosas do atual momento.

No entanto, algumas associações ponderam que a bandeira preta faz o fechamento quase total das atividades comerciais, o que teria grande impacto econômico. "Independentemente dessa decisão, nosso grau de consciência precisa ser retomado, porque se não, daqui a 60 dias, estaremos em uma situação mais grave do que estamos agora e precisando adotar ações mais rigorosas", reforça.

"Bandeira roxa"

Ainda no sábado, 14 dos 15 prefeitos que integram a R07 votaram pela manutenção da cogestão na região. A decisão será levada também nesta segunda, pelo presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars), Luciano Orsi, ao governador do Estado, Eduardo Leite.

Os prefeitos conversaram e definiram por recuar os protocolos da bandeira preta ao limite da bandeira vermelha. Com isso, conforme a Amvars, criou-se a "bandeira roxa" regional. Mantendo-se a cogestão as regras passam a valer a partir da terça-feira em toda a R07, sendo que os municípios têm autonomia para restringir mais do que a bandeira sugerida.

Ary Vanazzi estuda parada geral em São Leopoldo

Entre os municípios participantes da Amvars, a Prefeitura de São Leopoldo foi a única a se manifestar contrária a criação da “bandeira roxa”. O prefeito Ary Vanazzi disse que não concorda com a decisão “porque inventar coisas na situação mais grave da pandemia é crime”, destacando que não vai discordar do proposto pelo governo do Estado. Ainda no sábado, após reunião emergencial, Vanazzi e o secretário da Saúde, Marcel Frison, realizaram uma live pelo Facebook onde anunciaram a proposta de “lockdown” no Município.

A ideia de parada geral da cidade pelo período de uma semana será apresentada ao Comitê de Atenção ao Coronavírus de São Leopoldo, em reunião extraordinária hoje, às 15 horas. Se aprovada pelo Comitê, ela estará no decreto que será publicado na terça e passará a valer a partir de quarta-feira. “Se o comitê não aprovar o lockdown, vamos fazer valer o decreto da bandeira preta, com mercados funcionando com 25% dos trabalhadores, ônibus com 50% de lotação e todos os passageiros sentados e escolas, tanto do ensino o público quanto privado, com aulas apenas remotas”, colocou Vanazzi.

O prefeito também ponderou que, ficando em bandeira preta, deve dialogar com as categorias de indústria e comércio a fim de construir um acordo sobre as restrições exigidas. A intenção da Prefeitura leopoldense é reduzir em 70% a circulação na cidade. “Ajuda muito pra gente ter um controle melhor (da pandemia).


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.