Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região ICONICIDADES

Obra de revitalização da Casa do Imigrante terá reforço de projeto estadual

São Leopoldo foi um dos cinco municípios gaúchos selecionados para o Iconicidades

Por JEAN PEIXOTO
Publicado em: 23.09.2021 às 03:00 Última atualização: 23.09.2021 às 09:59

O plano de revitalização da Casa do Imigrante foi uma das cinco propostas selecionadas pelo governo do Estado para participarem do projeto Iconicidades.

Parte da Casa do Imigrante foi alvo de um desabamento, em 5 de março de 2019
Parte da Casa do Imigrante foi alvo de um desabamento, em 5 de março de 2019 Foto: Diego da Rosa/GES

A medida garante a São Leopoldo a elaboração do projeto arquitetônico para a reconstrução do prédio histórico, que sofreu um desabamento, em 5 de março de 2019, destruindo parte da estrutura onde, até então, funcionava o Museu do Imigrante. Localizada no bairro Feitoria, a moradia, construída em estilo enxaimel, abrigou os primeiros imigrantes alemães que desembarcaram no Brasil, em 1824.

Aguardadas há dois anos, as obras de recuperação do prédio pouco avançaram, em especial, devido a restrições financeiras, que foram acentuadas pela pandemia de coronavírus. Com a seleção do projeto no edital do Iconicidades, as perspectivas para a revitalização ganham novo fôlego.

Seleção de projetos

Vale salientar que o projeto Iconicidades, que integra as ações do Programa Avançar, apresentado pelo governador Eduardo Leite em junho, não fornecerá aporte financeiro para a execução das obras, mas promoverá um concurso de nível nacional para a contratação de um profissional responsável pela elaboração do projeto.

Na prática, serão cinco concursos simultâneos, realizados na segunda etapa do projeto, que deve iniciar em novembro. Os custos para a execução das obras e a modalidade de captação de recursos ficam a cargo dos municípios, como contrapartida.

Nesta segunda etapa, arquitetos de todo o País serão convidados a elaborarem os projetos conceitual, executivo e de viabilidade para as intervenções necessárias às cinco propostas selecionadas. As melhores ideias para cada espaço serão premiadas com valores de R$ 10 mil, R$ 15 mil e R$ 20 mil, além de contrato para desenvolvimento do projeto executivo para o primeiro colocado. Em contrapartida, os municípios assumirão o compromisso de executar as intervenções previstas e, posteriormente, coordenar localmente a iniciativa.

Prefeitura quer obra até o bicentenário

O prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, destaca que a meta do Município é concluir a reconstrução até o bicentenário da Imigração Alemã, em julho de 2024. No entanto, ele reconhece as limitações da Prefeitura no que refere-se à captação de recursos para a obra, uma vez que a Casa do Imigrante não é propriedade do Município. Vanazzi comenta que um meio de auxiliar neste processo foi a elaboração da lei de compensação ambiental, que deve reverter à obra parte do valor recebido via TAC (Termo de Ajuste de Conduta). O prefeito lembra que a obra de abertura da Avenida Imperatriz Leopoldina deve reduzir a circulação de veículos pesados, uma das causas do desabamento.

Prédio histórico sofre com depredações

O processo de reconstrução da Casa do Imigrante é conduzido pelo Museu Histórico Visconde de São Leopoldo (MHVSL), que é responsável pelo prédio. O presidente do MHVSL, Cássio Tagliari, ressalta os esforços da instituição para angariar fundos para a obra, mas reitera as dificuldades financeiras para a manutenção do espaço. Tagliari conta que a casa vem sendo alvo constante de ataques de vândalos, que nas últimas semanas furtaram, novamente, a cerca de proteção. Segundo o presidente, dos R$ 56 mil angariados via Lei Aldir Blanc, 50% foram destinados para a produção dos estudos preliminares para a reconstrução, elaborados pela Unisinos, e a outra metade do valor foi investida em iluminação, cercamento e, também, na contratação de uma empresa de segurança. Tagliari comenta que a inscrição para o Iconicidades foi mais umas das estratégias adotadas para a redução dos custos da obra. "Estamos buscando recursos de diferentes formas, nos inscrevendo em diversos editais", diz. Ele relata que somente para a manutenção dos holofotes noturnos em funcionamento são gastos R$ 500 mensais. Duas placas publicitárias (outdoors) foram instaladas no local para ajudar no custeio da manutenção. O presidente também destaca a importância da participação de empresas parceiras para a execução das obras, o que diminuiu, também, em função da pandemia. Em virtude do Iconicidades, uma nova reunião da comissão para o restauro da Casa do Imigrante deve ocorrer em outubro, com o objetivo de alinhar detalhes do projeto.

Ressignificação

Hiparcio Stoffel, diretor-geral do Escritório de Desenvolvimento de Projetos do Estado (EDP), autarquia que gerencia a iniciativa, salienta que, para além da revitalização de espaços físicos, o Iconicidades tem como foco a ressignificação destes locais para o fortalecimento dos laços com a comunidade e o incentivo à economia criativa. "Queremos fortalecer as identidades do cidadão com a sua cidade. Vamos promover atividades como lazer, cultura e gastronomia", pontua. Ele explica que o projeto ocorre em três etapas. Primeiro, ocorreu o chamamento dos 19 municípios gaúchos com mais de 100 mil habitantes - credenciados a participarem da disputa - a inscreverem suas propostas. Destes, 11 participaram e cinco foram selecionados. Cada um submeteu a sua candidatura, que foi analisada por uma comissão mista composta por membros do governo e profissionais indicados pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/RS) e do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/RS).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.