Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região ENXAIMEL

Casa Holler será recuperada para receber a Biblioteca Municipal de Ivoti

Município, que completa 57 anos de emancipação nesta terça-feira, vai revitalizar espaço, que é uma das maiores edificações no estilo enxaimel do Estado

Por Joceline Silveira
Publicado em: 19.10.2021 às 06:03 Última atualização: 19.10.2021 às 10:24

Cidade-símbolo da imigração alemã, Ivoti ainda tem vários prédios que representam esse período. Celebrando 57 anos de emancipação nesta terça-feira (19), a Cidade das Flores traz, em suas ruas, o contraste da arquitetura europeia com a contemporaneidade. Isso pode ser visto, principalmente, no Centro. Uma parte dessa memória está guardada em casarões seculares que resistem no trabalho de ornamentar Ivoti como peças de uma exposição ao ar livre.

Leo Pedro Hackler, 70 anos, lembra com carinho do espaço onde funcionava o Salão Holler
Leo Pedro Hackler, 70 anos, lembra com carinho do espaço onde funcionava o Salão Holler Foto: Inézio Machado/GES

A Casa Holler é uma delas. Uma das maiores edificações no estilo enxaimel do Estado. Imponente, na Avenida Presidente Lucena, o imóvel está presente na memória dos ivotienses, de nascimento e aqueles que escolheram a localidade para viver e chamar de sua.

A construção, erguida no século 19, foi tombada como patrimônio histórico estadual em janeiro de 2014, mesmo ano em que foi doada ao município. O local recebeu atividades até 2010, mas acabou sendo interditado em função de problemas estruturais. Agora, o espaço será recuperado pela prefeitura.

Natural de Picada Café, Leo Pedro Hackler, 70 anos, desembarcou em 1958 no canteiro de obras da cidade sonhada. "Parte da família foi para Linha Nova e outra veio para cá. Nunca me arrependi em nenhum momento da minha vida. Sou ivotiense de coração, alma e raiz", afirma, orgulhoso, o mecânico aposentado.

Com carinho ele relembrou "os bons tempos" da Casa Holler. No começo da história, funcionava no local o Salão Holler, onde ocorria famoso baile na região, posteriormente a edificação foi transformada em fábrica de tamancos e selas, e depois ainda em casa de cômodos. Já nos últimos anos, o prédio abrigava um bazar.

"Quando tinha os bailes era ótimo. Aproveitávamos também para cortar o cabelo no barbeiro que ficava no subsolo pra depois ir no baile." O carinho pelo local de acolhida remete às memórias mais antigas ainda. Conforme o aposentado, a construção relembra a casa da avô. "A maioria das casas daquela época era nesse estilo, até nas mesmas cores. Minha avó tinha uma casa muito parecida, com só uma divisória: a parede que separava a cozinha dos quartos", revela com os olhos atentos ao casarão. "Espero que arrumem mesmo e coloquem coisas antigas, da nossa época, vai ficar muito bonita."

Colaborou: Débora Ertel

Espaço receberá a Biblioteca Municipal

Há mais de dez anos fechado, o casarão de 797,92 metros quadrados será recuperado e no futuro deve abrigar a Biblioteca Pública Municipal, o Arquivo Municipal e um espaço recreativo infantil. "O município tem o comprometimento com o resgate histórico. Assim como já aconteceu com o Núcleo de Casas Enxaimel, vamos recuperar essa obra que é vital para o Centro da cidade", destaca o prefeito Martin Kalkmann.

Essa primeira fase vai receber um investimento de R$ 211,2 mil, com recursos próprios da prefeitura, e ser finalizada até o primeiro semestre de 2022. O trabalho deve ser acompanhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae).

Uma das principais preocupações é com o telhado, construído com um modelo de telhas de barro não mais fabricado. A cobertura está bastante danificada, com peças quebradas, o que provocou diversas infiltrações.

No cronograma consta que primeiro será demolido o anexo lateral, para depois dar início ao restauro da cobertura do prédio. As telhas de barro serão removidas, para que as peças preservadas sejam restauradas, e colocada um telhado provisório de zinco até a finalização deste serviço. O madeiramento da estrutura também receberá cuidados. Por fim, a viga do térreo passará por restauração, com troca de peças e novo reboco no espaço. Ainda consta na lista novas instalações elétricas. Todas as intervenções precisam seguir as determinações do Iphae, a fim de manter as características construtivas do imóvel.

O piso, forro, esquadrias e a substituição de peças de madeira integram o segundo momento de melhorias. Por fim, serão realizados os projetos complementares, a estrutura elétrica definitiva, eletrônica e o Plano de Proteção Contra Incêndios (PPCI).

Projeto abordará educação patrimonial

A diretora de Cultura de Ivoti, Marinês Teckemeier, destaca que paralelo às obras da Casa Holler, a prefeitura vai desenvolver um projeto de educação patrimonial, a fim de conscientizar a população sobre a importância de preservar. "Isso significa manter viva a memória e a nossa história", diz.

Segundo Marinês, o município faz isso constantemente com o Núcleo de Casas Enxaimel que a partir da década de 1990 passou a receber melhorias. Desde então, em especial pelo fato do bairro Feitoria Nova sofrer com as cheias do Arroio Feitoria, o local recebe atenção permanente.

Atividade do aniversário

Neste domingo (24), tem Sarau Literário e Música, para marcar o encerramento da 38ª Feira do Livro de Ivoti. O evento será na Praça Neldo Holler, às 15 horas. No dia 25, às 19h30 ocorrerá a live de apresentação do inventário de patrimônio histórico do município.

No dia 30 de outubro, haverá a Caminhada do Ivoti 100 que terá cinco trajetos da Rota Enxaimel, todos com saída e chegada no Núcleo de Casas Enxaimel.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.