Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região REGIÃO METROPOLITANA

Golpe dos nudes: dinheiro é encontrado dentro de urso de pelúcia em Cachoeirinha

De acordo com a Polícia Civil mais de R$ 58 mil foram encontrados em uma residência no município

Publicado em: 17.11.2021 às 16:14 Última atualização: 17.11.2021 às 16:38

Três mulheres, com idades entre 34 e 38 anos, foram presas na manhã desta quarta-feira (17), em Cachoeirinha. As prisões aconteceram nos bairros Nova Cachoeirinha, Parque da Matriz e Vista Alegre.

Mais de R$ 58 mil foram encontrados em uma residência no município, grande parte dentro de um urso de pelúcia. Elas são suspeitas de integrar uma quadrilha que pratica o chamado "Golpe dos Nudes" e outros crimes de extorsão, a operação contou com outras sete prisões em seis cidades gaúchas.

 Polícia Civil encontrou mais de R$ 58 mil em uma residência de Cachoeirinha, grande parte dentro de um urso de pelúcia
Polícia Civil encontrou mais de R$ 58 mil em uma residência de Cachoeirinha, grande parte dentro de um urso de pelúcia Foto: Polícia Civil
Além dos mandados de prisão em Cachoeirinha, outros sete foram cumpridos em Novo Hamburgo e nos presídios de Montenegro, Porto Alegre, Charqueadas e Arroio dos Ratos. “Além do dinheiro apreendido em Cachoeirinha, encontramos mais de R$ 1 mil em outros locais, totalizando cerca de R$60 mil em dinheiro vivo”, comunicou o delegado André Anicet, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCID).

Investigação

O inquérito policial foi instaurado a partir da notícia de uma vítima catarinense que teria depositado cerca de R$ 70 mil para criminosos, em virtude de ameaças feitas pelos suspeitos. De acordo com a Polícia Civil, a investigação revelou que a organização criminosa obteve lucros milionários com os crimes, chegando a extorquir mais de R$ 250 mil de uma única vítima.

No Rio Grande do Sul os agentes começaram o auxílio à Polícia Civil de Santa Catarina, pelo fato de todos os investigados residirem no estado. Mais de 60 policiais civis catarinenses e gaúchos participaram da operação na manhã desta quarta-feira.

 

O golpe

Criminosos criam perfis falsos em redes sociais com fotos sensuais de garotas, que são chamadas por eles mesmos de “novinhas”, passando a puxar conversas com homens de vários locais do país, preferindo vítimas que aparentam ter alto poder aquisitivo.

Fazendo-se passar pelas garotas, os bandidos informam um número de WhatsApp para os homens e começam conversas eróticas, enviando fotos sensuais da suposta garota, para que a vítima também envie fotos suas. De posse das conversas e do material trocado com a vítima, os criminosos passam a praticar extorsão, alegando que a menina é adolescente e que então ele teria praticado o crime.

Diante das ameaças de que será processado judicialmente e de que o caso será levado ao conhecimento da polícia para que o homem seja preso, os criminosos exigem determinada quantia em dinheiro para “abafar o caso”.

Segundo a investigação, a trama é orquestrada e algumas pessoas atuam como falsos pais da adolescente, outros como falsos advogados da família, tudo para fazer com que a vítima desembolse dinheiro para realização de um prometido acordo.

Para transmitir credibilidade às exigências e causar pânico nas vítimas, os criminosos montaram Delegacias de Polícia falsas, onde fazem imagens simulando a tramitação de investigações e até a expedição de falsos mandados de prisão.

Algumas vítimas acabam cedendo às chantagens e fazendo transferências aos criminosos antes de procurar a Polícia Civil para denunciar a extorsão.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.