Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região À espera de solução

Moradores e autoridades de Picada Café enfrentam problemas na telefonia

Prefeitura afirma que encaminhará ofício para empresa prestadora dos serviços para agilizar a resolução dos casos

Publicado em: 17.11.2021 às 03:00

Desde o fim de outubro, moradores de Picada Café enfrentam problemas com a falta de linha telefônica. Por isso, a prefeitura decidiu que até a próxima sexta-feira (19) encaminhará um ofício para a área de relações institucionais da empresa de telefonia Oi solicitando agilidade na resolução do caso.

A Oi informa que enviará nesta quarta-feira (17) uma equipe técnica para verificarem os cabos e fios telefônicos em Picada Café. "Se for constatado que os cabos danificados pertencem a companhia eles serão reparados o mais brevemente possível. A companhia ressalta que como os fios e cabos telefônicos da empresa estão instalados em vias e estabelecimentos públicos, sofrem, diariamente, danos por vandalismo e condições climáticas adversas. A Oi reforça ainda que mantém um programa permanente de manutenção de seus equipamentos e conta com as solicitações de reparo enviadas à companhia pelo canal de atendimento 10314 por consumidores e por entidades públicas", informa por meio de nota.

O secretário de Administração e Fazenda, Claus Altevogt, conta que o furto de fios telefônicos, somados à queda de postes, motivaram a problemática. A própria administração de Picada Café foi afetada. O telefone fixo do posto de saúde da localidade de Joaneta ficou sem funcionar de 3 de novembro até o dia 8. "Enquanto não funcionava, avisamos pelas redes sociais da prefeitura para que os usuários se comunicassem pelo telefone celular", acrescenta.

A decisão da prefeitura em solicitar agilidade foi tomada diante de inúmeras pedidos da população. Moradores acionaram a companhia telefônica, mas a demora ocasionou contato com a prefeitura.

Moradora do Lichtenthal, recepcionista de 35 anos, que prefere não ser identificada, conta que tem telefone fixo há aproximadamente 20 anos, mas nunca tinha ficado tanto tempo sem ele. "Meu pai, que não está acostumado com celular, é o que mais sente falta. O ruim é que quando a conta vem não tem desconto. Tem que pagar", comenta.

O comandante da Brigada Militar de Picada Café, sargento Cristiano Viana de Britto, conta que ficou sabendo informalmente dos furtos. "Um funcionário da Oi comentou que tinham sido furtados fios telefônicos em uma propriedade rural, mas não fez registro formal na Brigada Militar, nem na delegacia."

O comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários, Vilson Koch, explica que desde o dia 31 de outubro a corporação está sem telefone fixo. "A Oi nos deu previsão de que até o dia 20 de novembro resolveria o problema." A solução é ligar para o número (54) 99195-1432.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.