Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região FIM DO PROCESSO

Nova empresa assume coleta de lixo em Montenegro

Vencedora da licitação assume o serviço nesta sexta-feira (7)

Publicado em: 07.01.2022 às 18:20 Última atualização: 07.01.2022 às 18:45

A nova empresa responsável pela coleta de lixo em Montenegro começou a prestar serviço nesta sexta-feira (7). Na terça-feira (4), a prefeitura abriu processo para contratação de uma nova coletora, após a Ecosul Ambiental, então responsável pelo recolhimento do lixo, ter o contrato rescindido por demitir todos os funcionários, recolher os caminhões e abandonar as atividades.

A empresa Rodrigo Junges e Cia Ltda, com sede em Tupandi, foi a vencedora do processo e inicia na noite desta sexta-feira (7) a coleta de lixo na cidade
A empresa Rodrigo Junges e Cia Ltda, com sede em Tupandi, foi a vencedora do processo e inicia na noite desta sexta-feira (7) a coleta de lixo na cidade Foto: Acom Montenegro
A empresa Rodrigo Junges e Cia Ltda, com sede em Tupandi, foi a vencedora do edital e faz a primeira coleta nesta noite de sexta-feira. Ao todo, 15 empresas participaram da seletiva, que foi dividida em dois lotes: o primeiro, prevê a coleta dos resíduos na cidade e no interior e o transporte até a estação de transbordo e o segundo, o deslocamento do lixo da estação até o depósito final, em Minas do Leão.

A Junges venceu os dois e receberá, respectivamente, R$ 243.207,03 e R$ 70.405,84. Juntos esses valores somam R$ 313.612,87 pagos mensalmente para a prestadora de serviço. O custo é um pouco mais caro, em comparação com os valores pagos para a Ecosul – em média, R$ 250.839,23 por mês. Para o chefe de gabinete do prefeito, Renan Boos, essa situação já era esperada.

“Antes da Ecosul assumir, era a Junges que fazia a coleta do lixo e, na época, recebia R$ 308 mil por mês. Como aquele contrato expirou em agosto e tivemos de fazer um novo, ganhou a Ecosul, que propôs o valor menor, mas a qualidade do serviço caiu muito e ela acabou abandonando a cidade”, observa. “São situações decorrentes da Lei das Licitações, sobre as quais não temos, como gestores, qualquer poder ou ingerência”, ressalta.

Nos dias em que a cidade ficou sem empresa para recolher o lixo, servidores municipais e detentos do Presídio de Montenegro fizeram mutirão para coletar os resíduos que chegaram a acumular em alguns pontos. A cidade produz, em média, 40 toneladas de rejeitos por dia.

“É muito bom saber que temos uma equipe que pega junto, que vai além das suas obrigações em benefício da comunidade”, afirma o prefeito Gustavo Zanatta.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.