Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região VIOLÊNCIA

Mulher morre ao tentar separar briga entre irmão e cunhado em Capela de Santana

Homem que matou o cunhado e irmã a golpes de faca foi preso pela Brigada Militar logo após o crime

Por Thiago Padilha
Publicado em: 14.01.2022 às 17:15 Última atualização: 14.01.2022 às 18:01

Uma briga familiar por causa da construção de um canil na Rua Pedro Augusto Mendes, bairro Imigrante, em Capela de Santana, terminou em duas mortes nesta sexta-feira (14). Segundo a Polícia Civil, Arnoldo Stroher, 26 anos, feriu com golpes de faca o cunhado Lucas Rieth Bitello, 36, e a irmã Maria Liciane Stroher Both, 35.

Ao se dar conta do que tinha feito, o próprio acusado chamou a Brigada Militar para se entregar, enquanto vizinhos acionaram duas ambulâncias do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu). Bitello não resistiu aos ferimentos e morreu no local - na frente das filhas gêmeas, de 12 anos, e que tentaram socorrê-lo. Já Liciane chegou a ser levada ao Hospital de Montenegro, passou por cirurgia, mas entrou em óbito no início da tarde.

Todos moravam em uma área de um hectare que pertence à família, onde além de Liciane, vivem também mais três irmãs do acusado, com seus maridos e filhos. Bitello, que trabalhava como vigilante na prefeitura, era bastante atuante na causa animal e construiu um canil junto de sua casa recentemente, o que provocou discussões com Stroher, o único homem dos cinco irmãos.

Primeiro homicídio do ano em Capela de Santana
Primeiro homicídio do ano em Capela de Santana Foto: Polícia Civil/Especial

Canil foi motivo

"Ele começou a desmanchar o canil e Lucas foi questionar o acusado. Então, Arnoldo mandou ele sair do local e eles entraram em vias de fato. Na briga, Lucas caiu e o acusado puxou uma faca, atacando a vítima caída no chão", relata o chefe de investigações da Delegacia de Polícia de Capela de Santana, Jonatas Maciel. Bitello foi ferido no abdômen, peito e perto do pescoço. 

Liciane viu o que estava acontecendo e tentou intervir. "Ela tentou tirar o acusado de cima da vítima e foi ferida na barriga", acrescenta. Então, a mãe de Stroher se aproximou e ele parou. Foi para dentro de sua casa e chamou a Brigada Militar para se entregar. 

Criança presenciou a violência

Caído no chão, Bitello chegou a pedir para uma das filhas gêmeas de 12 anos ligar para o 193, mas quando as ambulâncias chegaram, os socorristas não conseguiram reanimá-lo, pois havia perdido muito sangue.

A faca usada no crime, com 20 centímetros de lâmina, e uma espingarda de chumbinho foram apreendidas com o jovem preso.

Os corpos foram para o Instituto Médico Legal (IML), de Porto Alegre, enquanto o acusado seria encaminhado para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de São Leopoldo, de onde deve seguir para o sistema prisional.

Primeiros homicídios do ano

As duas mortes desta sexta-feira (14) foram os primeiros homicídios registrados em Capela de Santana em 2022. É o mesmo número de assassinatos que aconteceram na cidade em todo 2021 e metade do total de 2020, quando foram quatro casos.

"É um crime que choca a comunidade, ainda mais por haver o vínculo familiar", avalia Maciel, que revelou que o acusado deve ser indiciado por duplo homicídio doloso qualificado por motivo fútil.

Prefeitura decreta luto

A prefeitura de Capela de Santana decretou luto oficial na cidade de três dias pela morte de Bitello, que era servidor público. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.