Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região POLÍTICA

Sindicância apura suspeita de desvio de materiais em Ivoti

Luminárias antigas teriam desaparecido. Secretário e diretor do setor de Obras da prefeitura deixam cargos

Por Matheus Chaparini
Publicado em: 13.04.2022 às 05:00 Última atualização: 13.04.2022 às 12:12

A prefeitura de Ivoti abriu uma sindicância nesta semana para investigar denúncias de supostas irregularidades na Secretaria de Obras do município. Há suspeitas de que servidores da pasta teriam vendido materiais que pertencem à prefeitura - luminárias antigas que foram retiradas dos postes e substituídas por novas, de LED.

Mensagens de áudio, atribuídas a servidores da secretaria, circularam pelo município nas últimas semanas e foram tema de discussão na Câmara de Vereadores. As denúncias são de que um churrasco, envolvendo parte dos servidores, teria sido pago com o dinheiro da venda do material.

A sindicância foi aberta na segunda-feira (11) para "apurar possíveis irregularidades acerca de descarte e destinação de matérias com possível valor comercial". O prazo para o relatório é de 30 dias.

"São suposições, a gente tem que ter cuidado com isso, mas abrimos sindicância para investigar os fatos. A comissão vai fazer os encaminhamentos e vai chamar os servidores", diz o prefeito de Ivoti, Martin Kalkman.

Em meio às denúncias, dois dos principais responsáveis pelo setor de Obras deixaram os cargos. O diretor de Obras, Alcido Ratzinger, e o secretário, Eduardo Bays, foram exonerados na semana passada. O prefeito afirma que os dois pediram exoneração.

Contraponto

Procurado pela reportagem, Ratzinger afirmou que o pedido não tem relação com as suspeitas. "Minha saída é por ter adquirido uma borracharia, a qual presta serviço para a prefeitura, não sendo possível ser funcionário e servidor ao mesmo tempo", afirma.

Já Bays não respondeu à reportagem. Segundo o prefeito, ele teria sido convocado a retomar sua função como servidor concursado da prefeitura de Portão.

Até a tarde desta terça-feira (12), ninguém havia sido nomeado para os dois cargos, que estavam sob responsabilidade do prefeito. Em relação aos principais responsáveis deixarem a pasta em meio a denúncias, Kalkmann preferiu não comentar."Não consigo te dizer. De certa forma, acabo ocupando as duas funções e é um transtorno para nós. Mas, ao mesmo tempo, é importante termos transparência e investigarmos todos os fatos."

Câmara quer esclarecimentos

O presidente da Câmara de vereadores, Ivanir Mees, solicitou à Secretaria de Obras informações a respeito do caso.

O ofício, de 30 de março, questiona onde está o material, o que será feito com ele e qual o valor comercial estimado. Até a tarde de terça-feira (12), a câmara não havia recebido resposta.

"Acho estranho o diretor e o secretário terem pedido exoneração justamente no meio de uma denúncia dessas. Quando ocorre uma denúncia, o mínimo que temos que fazer é investigar", afirma Mees.

Sem receber retorno, Mees solicitou a presença de Bays na Câmara para esclarecimentos. A ida do secretário ficou agendada para o dia 18 de abril. "Acredito que ele vá comparecer. Até lá, não tomaremos atitude", disse o parlamentar.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.