Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região CRIME ORGANIZADO

Polícia de São Paulo faz operação contra golpe dos nudes no Vale do Sinos

Equipe do interior paulista cumpre 11 mandados na região, com apoio da 1ª DP de Novo Hamburgo e foco em casal de Campo Bom

Por Silvio Milani
Publicado em: 21.06.2022 às 08:13 Última atualização: 21.06.2022 às 10:09

O constrangedor golpe do nudes volta a colocar o Vale do Sinos no mapa nacional do crime organizado. Nova operação é feita na região na manhã desta terça-feira (21), desta vez coordenada pela Polícia Civil de São Paulo. Dois delegados e seis agentes viajaram 1,2 mil quilômetros para cumprir 11 mandados de busca e apreensão em parceria com a 1ª DP de Novo Hamburgo. São três em Campo Bom, três em São Leopoldo e um em Novo Hamburgo, além de três em Parobé, no Vale do Paranhana, e um em presídio de Charqueadas.

Polícia de São Paulo faz operação contra golpe dos nudes no Vale do Sinos
Polícia de São Paulo faz operação contra golpe dos nudes no Vale do Sinos Foto: Diego da Rosa/GES
Segundo o delegado paulista Edmar Rogério Dias Caparroz, os principais alvos são uma moradora de Campo Bom de 25 anos e o marido, um preso de 35 anos. “Apuramos que esse casal encabeça o esquema criminoso.” Ele frisa que a investida em solo gaúcho busca novas provas contra o grupo que vem aplicando a ‘sextorsão’ em vítimas do oeste de São Paulo. O material apreendido, que ainda é contabilizado, passará por perícia.

Idoso perdeu R$ 104 mil

“Em termos técnicos, temos todos os elementos sobre o envolvimento das pessoas investigadas. Agora estamos atrás da materialidade local.” Conforme o delegado, foi feito um complexo rastreamento telemático para chegar aos criminosos que conseguiram tirar R$ 104 mil de um aposentado de 68 anos da cidade de Presidente Venceslau.

O idoso foi atraído nas redes sociais por imagens de uma jovem atraente, que o chamou para conversas no WhatsApp. Ele passou a praticar o chamado “sexo virtual” com a menina que ele acreditava ser real. Depois, apareceu um bandido se passando pelo pai, cobrando valores para tratamento médico da garota, que teria entrado em depressão.

Para completar a tortura psicológica, entraram em cena falsos policiais informando suicídio da jovem, que teria menos de 14 anos, e exigiram dinheiro para não prendê-lo por pedofilia. Tudo com réplicas de documentos e logotipos do Ministério Público e Polícia Civil gaúcha.

“Os criminosos chegaram a enviar imagens da menor lesionada e de uma delegacia de polícia cenográfica, confecção de um atestado de óbito da adolescente e de um mandado de prisão expedido em desfavor da vítima, tudo para dar maior credibilidade ao golpe”, detalha Caparroz. Ele coordena a Operação Pothos, em alusão ao deus da paixão, anseio e desejo na mitologia grega.

Delegacias clandestinas em Novo Hamburgo

O delegado do interior paulista menciona fotos e vídeos feitos em falsas delegacias, como as duas descobertas pela 1ª DP de Novo Hamburgo no bairro Canudos, em abril, na Operação Teatro do Crime. “Ainda não sabemos se são essas que eles usaram para vitimar o idoso de Presidente Venceslau, pois pode haver outras aqui no Vale do Sinos.” O titular do órgão hamburguense, Tarcísio Kaltbach, ressalta a troca de informações com os policiais paulistas. “A cooperação é essencial, considerando que também estamos com investigações em andamento.”

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.