Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região MONKEYPOX

Secretaria de Saúde confirma primeiro caso de varíola dos macacos em Canoas

No Rio Grande do Sul, 12 pessoas já foram infectadas pela doença

Por Juliano Piasentin
Publicado em: 04.08.2022 às 17:18 Última atualização: 04.08.2022 às 21:33

O caso de varíola dos macacos, identificado em Canoas, foi confirmado como sendo uma mulher de 46 anos. De acordo com a Secretaria de Saúde (SMS), a paciente não viajou para fora da cidade. O caso é considerado estável e está sendo monitorado pela Vigilância Sanitária do município. Segundo a SMS, o diagnóstico foi feito por meio de consulta na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Liberty, no bairro Mathias Velho.

Paciente de Canoas é uma mulher de 46 anos
Paciente de Canoas é uma mulher de 46 anos Foto: Adobe Stock
A paciente foi até a UPA apresentando sintomas comuns da doença, como febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, inchaço dos nódulos na região dos gânglios, calafrios e manchas vermelhas na pele. Ao realizar os exames veio a confirmação de monkeypox. A SMS comunica que os cuidados devem ser os mesmos que são tomados em casos de Covid-19, com higienização e isolamento para evitar novos contágios.

No Rio Grande do Sul, 12 pessoas já foram infectadas, sendo cinco em Porto Alegre, duas em Caxias do Sul, uma em Canoas, Igrejinha, Uruguaiana e Viamão. Os pacientes são sete homens e cinco mulheres. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) reitera que prepara estratégias para o enfrentamento da doença, com foco em vigilância em saúde e prevenção

Em Porto Alegre, seis laboratórios privados já começaram a testagem da doença. Os preços variam entre R$ 370 e R$ 700 e dão do mesmo tipo, conhecidos como RT-PCR. No entanto, o teste pode ser realizado apenas mediante a autorização dos médicos.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.