Publicidade
Notícias | Região O DIÁRIO DE BALTAZAR

Amizade entre escritora e gato vira novo livro em Canoas

Vínculo de afeto e companheirismo entre Maria Rigo, 87, e o felino Baltazar surgiu durante a pandemia

Publicado em: 22.08.2023 às 09:56 Última atualização: 22.08.2023 às 10:44

Uma amizade que surgiu em meio ao caos pandêmico de Covid-19 em 2020. A relação de afeto e companheirismo entre a escritora Maria Santos Rigo, de 87 anos, e o simpático gatinho Baltazar, de 3 anos, ganhou um livro. Com o intuito de incentivar a adoção de animais e mostrar a bonita ligação criada entre a dupla, a canoense escreveu "O Diário de Baltazar". A obra será lançada em outubro, na Feira do Livro de Canoas.

Companheirismo virou uma obra de arte a ser lançada na feira
Companheirismo virou uma obra de arte a ser lançada na feira Foto: FOTOS PAULO PIRES/GES

O felino nasceu no Dia de Reis, 6 de janeiro. Em homenagem à data especial, recebeu de sua tutora o nome bíblico. Por meio de fotos e texto, o livro conta as primeiras aventuras vividas por Baltazar ao lado de sua inseparável amiga humana.

"No início de 2020, uma amiga me perguntou se eu queria um gatinho. Na época, fui um pouco resistente. Não tinha intenção de pegar animal de estimação, porém, no final aceitei. Disse que ficaria com ele quando retornasse da praia", relembra Maria.

O pequeno filhote chegou no novo lar com cerca de dois meses. Curioso e brincalhão, se tornou um fiel guardião e companheiro. "A pandemia estourou pouco tempo depois da chegada de Baltazar. Rapidamente, o isolamento se tornou o 'normal' durante aquele período. Meus filhos, noras e netos moram em outros bairros da cidade. Éramos somente eu e o filhotinho mais lindo e carinhoso que conheci. Não sei como teria sido sem ele", revela.

A obra possui fácil leitura e fotografias que ajudam a narrar as peripécias do felino de cor preto e branco, e olhos verdes. "Adoro pegar o celular e fazer fotos dos momentos dele. O Baltazar adora brincar, bisbilhotar cada cantinho da casa, ficar na minha volta, ele gosta de acompanhar os meus passos e tarefas domésticas", destaca.

Período pandêmico

O vínculo afetivo entre tutora e o gato foi criado em um cenário atípico no mundo. Acostumada com atividades culturais de forma presencial, Maria se viu isolada do convívio cotidiano com outros humanos.

"Sempre participei de atividades culturais de forma presencial, e de repente, tudo havia mudado. Foi um período desafiador em diferentes aspectos. Para não ficar tão órfão dos encontros decidi criar uma página no Facebook chamada 'Confraria dos Poetas'. O resultado foi positivo, a troca de ideias por mensagens foi ótima."

Pós-pandemia de Covid-19

Maria retomou as atividades presenciais no ano passado. "Mantenho a página ativa, lá marcamos os encontros a cada dois meses na Antiga Estação do Trem. A maioria dos participantes são amigos da Casa do Poeta. Fazemos troca de poesias, músicas e ideias", explica.

A rotina com Baltazar pouco mudou, a dupla permanece ligada pelo carinho e companheirismo. "A adoção mudou minha vida para melhor", enfatiza.

Incentivo à adoção de animais

Maria ficou cerca de 30 anos sem um bichinho de estimação. "Tive gato e cachorro quando meus filhos ainda moravam comigo. Sou viúva há muitos anos. Por algum motivo, o Baltazar surgiu em minha vida tantos anos depois. Sou grata por seu amor incondicional e puro. O livro é mais uma forma de contar para as pessoas o quão poderosa pode ser a adoção de um pet", salienta.

A escritora revela planos para mais um livro com histórias inusitadas e divertidas do gatinho boa-praça.

Taís Forgearini

Entre em contato com
Taís Forgearini

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas
Botão de Assistente virtual