Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul População

Mulheres são maioria no RS: para cada 100, há 94,9 homens

Meninos são maioria entre os nascimentos, porém as mulheres se tornam majoritárias já a partir da faixa dos 30 anos

Última atualização: 04.09.2019 às 15:47

Foto por: Débora Ertel/ GES-Especial/ Arquivo
Descrição da foto: Na população com mais de 80 anos, para cada 100 mulheres há um grupo de 53,5 homens
As mulheres são maioria entre a população total do Rio Grande do Sul. Para cada grupo de cem pessoas do sexo feminino, são apenas 94,8 homens. Os meninos são maioria entre os nascimentos, porém as mulheres se tornam majoritárias já a partir da faixa dos 30 anos, situação que fica mais evidente com o avanço da idade. Entre a população com mais de 80 anos, a relação para cada 100 mulheres despenca a 53,5 representes do sexo masculino. “É uma decorrência da expectativa de vida entre as mulheres, mas também por conta da maior incidência de óbitos de homens pela violência e do trânsito”, apontou o estatístico.

As mulheres representam 51,33% da população (5.815.522 habitantes). Das cidades com mais de 20 mil habitantes que ficam acima desta média, Porto Alegre leva o título da mais feminina. Dos moradores da capital, 53,76% são mulheres. Na sequência, estão Pelotas (52,97%) e Cruz Alta (52.77%).

Na outra banda, dentre aqueles com mais de 20 mil moradores, os municípios com maior concentração masculina são Charqueadas (59,26%), São Francisco de Paula (51.22%) e São José do Norte (50.97%). Da população geral do RS, 48,67% são do sexo masculino.

Os principais aspectos da evolução populacional do Estado foram detalhados nesta quarta-feira (4), quando a Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplag) apresentou as estimativas que permitem conhecer o perfil das 497 cidades por faixa etária, sexo e o percentual de pessoas potencialmente ativas para atuar no mercado de trabalho.

 

Made withVisme

 

Com um número de nascimentos que voltou a cair depois de dois anos de estabilidade, a população do Rio Grande do Sul apresentou em 2018 a sua menor taxa de crescimento vegetativo – diferença entre nascidos e óbitos. O registro resultou em 51,5 mil novos habitantes no Estado, o que significa um aumento de apenas 0,46% na comparação com o ano anterior.

O número é o menor patamar ao longo da série histórica iniciada em 2010, o que reforça uma tendência gradativa de redução ao longo dos próximos anos da faixa etária entre 15 e 59 anos, que constitui o grupo de pessoas consideradas potencialmente ativas. Pelas estimativas, o número de habitantes no Estado, em 2019, ficará em 11.377.239, com uma taxa de crescimento ainda menor do que em 2018 (0,42%).


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.