Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul Porto Alegre

'Não se sabe a causa', diz delegada sobre incêndio que matou um bebê e duas crianças

De acordo com a delegada Laura Lopes, a mãe das crianças está em estado grave na UTI; pai segue hospitalizado, mas fora de risco

Publicado em: 13.05.2021 às 13:12 Última atualização: 13.05.2021 às 13:15

Casa, de madeira, ficou completamente destruída Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil busca descobrir como começou o incêndio que matou uma bebê, de 1 mês, e dois irmãos, de 2 e 3 anos, na madrugada desta quinta-feira (13) em Porto Alegre. Até por volta do meio-dia, a delegada Laura Lopes, que investiga o caso, havia conversado apenas com o pai das crianças, que seguia hospitalizado, mas fora de risco. 

"Por enquanto não se sabe a causa do incêndio. O homem falou que estava dormindo e, quando viu, só deu tempo de sair correndo. Nada foi descartado por enquanto. Só temos a palavra dele", afirma Lopes.

Sobre uma suposta discussão, relatada por vizinhos, momentos antes do incêndio, a delegada disse que o homem negou que tenha havido qualquer briga. Os vizinhos não quiseram depor à Polícia.

A mulher, mãe das crianças, não pôde ser ouvida ainda porque está internada em estado grave na UTI do Hospital Cristo Redentor. Conforme a delegada, ela teve 60% do corpo queimado.

Segundo a Polícia, Josemar Fagundes, de 33 anos, e a companheira, Aline Reis, de 34, trabalham com reciclagem e, por conta disso, costumam juntar muito papel e plástico em casa, o que contribuiu para que as chamas se alastrassem rapidamente.

Conforme relato do homem à Polícia, a bebê, Cecília Reis Fagundes, dormia na mesma peça que o casal, enquanto as outras duas crianças, Heitor e Lorenzo Reis Fagundes, dormiam na sala. Josemar disse que chegou a tentar salvar os filhos, mas não conseguiu. A residência, de madeira, localizada no Bairro Humaitá, ficou completamente destruída.

Os bombeiros chegaram ao local por volta das 5 horas e já encontraram as crianças sem vida. Os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML). Agora, a Polícia irá aguardar a conclusão da perícia e tentar ouvir familiares das vítimas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.