Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul Polícia

Mulher admite ter jogado bebê recém-nascida pela janela do ônibus, diz Polícia Civil

Autora do crime foi presa preventivamente nesta manhã, em Dezesseis de Novembro; na madrugada ela prestou depoimento e admitiu que o parto aconteceu pouco antes, no banheiro do ônibus

Por Suélen Schaumloeffel
Publicado em: 01.07.2021 às 19:59 Última atualização: 02.07.2021 às 08:26

Foi presa preventivamente na manhã desta quinta-feira (1º), a mulher de 20 anos, acusada da tentativa de homicídio de uma bebê recém-nascida. Ela teria jogado a vítima pela janela de um ônibus em via pública, em Panambi. Segundo confirmado pela Polícia Civil, a mulher teria dado à luz dentro do banheiro de um ônibus intermunicipal e após o parto, quando o coletivo passava pelo município, arremessou a bebê, que foi resgatada por policiais na ciclovia da Avenida Presidente Kennedy. A menina ainda estava com o cordão umbilical, coberta de sangue e gelada, pois não tinha nem uma roupa envolvendo seu corpo.

Segundo o delegado Gustavo Fleury, da Delegacia de Polícia de Panambi, a mulher foi localizada em sua casa, no município de Dezesseis de Novembro ainda na quarta-feira, pela Brigada Militar, que apoiou as buscas pela mulher.

Autora do crime foi presa preventivamente na manhã desta quinta-feira em sua casa Foto: Polícia Civil

Durante a madrugada de hoje ela prestou depoimento onde admitiu a autoria do crime. “Ela foi interrogada na madrugada e admitiu que arremessou o bebê pela janela do ônibus em Panambi e que entrou em trabalho de parto durante o trajeto do ônibus. Ela disse que escondeu a gravidez dos parentes por não saber quem é o pai, e esse seria o motivo pelo qual jogou a criança pela janela”, explicou o delegado em vídeo divulgado para imprensa. Como naquele momento não haviam elementos que configurassem o flagrante, a mulher foi liberada.

Já nesta manhã, com mais informações, a PC representou pela prisão preventiva da mulher e um mandado de busca e apreensão em sua casa, pedidos atendidos pela Justiça.
Na casa da autora, foram encontradas as roupas que ela vestiu durante a viagem e o parto, assim como apreendido seu celular.

Investigação

O delegado pontua que a investigação iniciou tão logo teve conhecimento do crime e atribui ao trabalho conjunto entre forças policiais e comunidade o sucesso da elucidação em menos de 24 horas.
Imagens de câmeras de monitoramento flagraram o crime e a própria empresa de ônibus prestou esclarecimentos e repassou informações aos investigadores. “As informações indiciavam que ela residia em algum município que o coletivo teve desembarque de passageiros assim que passou por Panambi. Fizemos contato com a BM da região, que verificou câmeras de vigilância dos municípios”, disse Fleury.

Nas diligências, as imagens recebidas de uma passageira que desembarcou em Dezesseis de Novembro chamaram atenção: “dela estava lavando as mãos, entrando em um estabelecimento comercial e comprando absorventes, olhando as partes íntimas e aparentando ter manchas de sangue em suas vestes', relata o investigador.

Com essas informações, a PC teve certeza do paradeiro da investigada. A Brigada Militar da região de São Luiz Gonzaga chegou até a suspeita na noite de quarta-feira, quando foi detida para prestar depoimento.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.