Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul UMA SEMANA DE BUSCAS

Corpo do segundo bombeiro é encontrado sob escombros do prédio da SSP

Segundo-sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós foi encontrado quatro horas após a localização do primeiro-tenente Deroci de Almeida da Costa

Publicado em: 22.07.2021 às 06:51 Última atualização: 22.07.2021 às 10:48

Quatro horas depois de encontrar, nesta quarta-feira (21), o corpo do primeiro-tenente Deroci de Almeida da Costa, um dos bombeiros desaparecidos após o incêndio do prédio-sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP) há uma semana, as equipes de busca, resgate e salvamento do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) localizaram o segundo militar desaparecido.

A suspeita é de que falha elétrica tenha provocado as chamas na noite da quarta-feira (14) em Porto Alegre.

O segundo-sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós foi encontrado por volta das 22h30, a quatro metros do local onde estava o tenente Almeida, localizado pelas equipes por volta das 18h30. Ambos estavam no térreo do edifício, sob os escombros, perto da entrada do local onde funcionava o Departamento de Comando e Controle Integrado (DDCI).

“Mais uma vez, ressalto que esses bombeiros cumpriram ao extremo seu juramento de colocar sua vida em risco para salvar outras vidas. E, seguramente, salvaram muitas vidas, da sua própria guarnição, que estava fazendo o combate ao incêndio, garantindo que ninguém ficasse para trás, assim como os 115 homens e mulheres que também cumpriram seu juramento de não deixar ninguém para trás e se mantiveram até agora em busca dos colegas desaparecidos”, reforçou o governador Eduardo Leite, em coletiva de imprensa na madrugada desta quinta-feira (22).

O corpo já foi encaminhado ao Instituto-Geral de Perícias (IGP) para a devida identificação e liberação. Paralelamente, o governo do Estado oferece suporte às famílias para que rapidamente sejam encaminhadas as honras e os tributos justos ao tenente Almeida e ao sargento Munhós.

Mais de 30 anos de serviço

Sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, 51 anos, natural de Lavras do Sul Foto: Reprodução
Com mais de 30 anos de serviço, o segundo-sargento Munhós já tinha condições de se aposentar e estava de folga no dia do incêndio. “Ele seguia conosco porque realmente gostava do que fazia, saiu de casa assim que soube da ocorrência. Veio de Viamão para Porto Alegre para ajudar seus companheiros que estavam servindo naquela noite. E estava ajudando o oficial tenente Almeida, que era o responsável inicialmente por toda atividade operacional de combate ao fogo”, detalhou o comandante-geral do CBMRS, César Eduardo Bonfanti. 

Mais de 20 anos de serviço

Tenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos, natural de Rio Grande Foto: Reprodução
Natural de Rio Grande, o 1º tenente Almeida entrou na Brigada Militar/Corpo de Bombeiros em dezembro de 1998 e, atualmente, servia no 1º BBM, no Setor de Logística e Patrimônio, tendo 22 anos de serviço na Corporação. Casado, 46 anos, ele deixa dois filhos.

O comandante-geral Bonfanti lamentou profundamente a morte de um “companheiro e grande herói” da corporação, e garantiu que o trabalho seguirá, como forma até mesmo de honrar o trabalho no incêndio da SSP e em tantas outras missões que o tenente Almeida cumpriu durante 22 anos.

Buscas

Para chegar ao local do corpo, as equipes do CBMRS realizaram a remoção de escombros e a abertura de acessos na área. Assim, foi possível chegar ao centro do edifício. Os chamados binômios (dupla homem e cão) deram indicações mais precisas quanto à localização em um acumulado de escombros de cerca de seis metros. As equipes de Busca e Salvamento e de Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (Brec) seguiram com a remoção das estruturas dos pavimentos desabados até a localização dos corpos.

No final da noite do dia 21, foi encontrado o corpo do segundo bombeiro desaparecido Foto: Rodrigo Ziebell/SSP

Desde o início dos trabalhos de combate ao incêndio no prédio, na noite de 14 de julho, o CBMRS organizou uma estrutura operacional completa para viabilizar o trabalho ininterrupto de combate ao fogo e resfriamento da área. Tão logo foi verificada a ausência de dois bombeiros militares que atuavam na ação, também foi mobilizada toda a capacidade de busca e resgate aos desaparecidos. Os trabalhos ocorreram ininterruptamente, dia e noite, em busca dos dois bombeiros.

No pátio da SSP, houve alocação de todo o efetivo e equipamentos necessários à operação de resgate dos agentes desaparecidos. Nesta quarta (21), 115 pessoas, entre bombeiros militares e técnicos, estavam atuando nas buscas e no trabalho de remoção de escombros para ampliar os acessos ao prédio.

Demolição do prédio

Após o encerramento das buscas aos bombeiros, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, confirmou que a próxima etapa dos trabalhos será a demolição do prédio. “Passaremos então ao segundo momento, a busca mais rápida possível pela demolição total do prédio que já está condenado pela área técnica.”

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.