Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul NESTA SEGUNDA

RS recebe 105 mil doses de Pfizer e quase 300 mil de Coronavac

Conforme a Secretaria Estadual da Saúde, vacinas de lotes interditados ficarão retidas na central estadual de armazenamento

Publicado em: 06.09.2021 às 10:41 Última atualização: 06.09.2021 às 10:42

O Rio Grande do Sul recebe nesta segunda-feira (6), 404,7 mil novas doses de vacinas contra a Covid-19. A maior quantidade, 299,4 mil, é de Coronavac. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), como os imunizantes pertencem a lotes que foram interditados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no último sábado (4), eles ficarão retidos na Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre, até nova orientação da agência reguladora.

RS recebe quase 300 mil doses de Coronavac nesta segunda Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini

Além das vacinas do Instituto Butantan, o Estado recebe 105,3 mil doses do imunizante da Pfizer, que serão distribuídas aos municípios normalmente para aplicação de segunda dose. Em dois voos, as remessas do Ministério da Saúde devem chegar ao Aeroporto Salgado Filho até o fim do dia.

Suspensão de doses

No último sábado, a Anvisa determinou a interdição de 25 lotes da vacina Coronavac, que protege contra a Covid-19. Ao todo, cerca de 12 milhões de doses tiveram a aplicação suspensa pela agência por terem sido envasadas em uma planta de produção não inspecionada.

A medida vale por até 90 dias, período no qual a Anvisa irá avaliar as condições de Boas Práticas de Fabricação da planta fabril onde as doses foram envasadas. Depois dessas análises, a agência vai decidir se libera ou não os lotes para uso. A Anvisa informou ainda que vai trabalhar com o Instituto Butantan para regularizar esse novo local de envase da Coronavac.

Segurança da vacina

Em nota, o Instituto Butantan afirmou que os imunizantes são seguros para a população e que todas as doses foram atestadas pelo "rigoroso controle de qualidade do Butantan".

O diretor da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse em entrevista ao jornal O Globo que não há motivo para pânico. Barra Torres afirmou que a decisão de suspender o lote é por cautela e reforçou que a Coronavac é uma vacina segura. A segurança da vacina foi comprovada por testes clínicos, cujos resultados foram analisados pelos técnicos da Anvisa e publicados em revista científica.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.