Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul ESTRAGOS

Vendaval derruba árvores, destelha casas e provoca falta de luz no RS

Em Montenegro, 20 famílias tiveram suas moradias afetadas e precisaram sair de casa. Temporal foi mais forte entre o Vale do Sinos e Canoas, segundo a MetSul

Publicado em: 26.11.2021 às 11:33 Última atualização: 26.11.2021 às 12:19

O forte temporal que atingiu o Rio Grande do Sul na quinta-feira (25) causou uma série de estragos na Região Metropolitana de Porto Alegre. O mau tempo, com vento forte, provocou queda de árvores e deixou casas destalhadas e famílias desalojadas. Na manhã desta sexta (26), mais de 200 mil pontos estavam sem energia elétrica no Estado.

Casa ficam destelhadas após vendaval em Montenegro
Casa ficam destelhadas após vendaval em Montenegro Foto: Defesa Civil de Montenegro

Segundo a MetSul, o vendaval mais intenso foi registrado na região da base aérea de Canoas, onde as rajadas chegaram a 109,3 km/h. No Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, a velocidade do vento alcançou 78 km/h. Já no Vale do Sinos, em Campo Bom, chegou a 81 km/h.

Em Montenegro, por conta do mau tempo, 80 moradias foram destelhadas e 20 famílias precisaram passar a noite em casas de parentes. A cidade decretou situação de emergência. Em Três Coroas, desde ontem, bombeiros voluntários trabalham no suporte a moradores que tiveram casas destelhadas e na retirada de árvores que atrapalhavam o trânsito em rodovias e áreas centrais da cidade. Pelo menos cinco casas tiveram algum prejuízo.

Em São Leopoldo, conforme a Defesa Civil do município, oito residências foram atingidas e 21 árvores caíram. Os moradores afetados receberam lonas. Houve ainda pontos de alagamento em São Leopoldo, devido ao grande volume de chuva em um curto período de tempo.

Queda de árvore na Rua José Dias, no bairro Jardim América, em São Leopoldo
Queda de árvore na Rua José Dias, no bairro Jardim América, em São Leopoldo Foto: Heloisa Beatriz Mendel/Especial

Em Novo Hamburgo, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil atenderam 15 ocorrências envolvendo árvores caídas. Foram registrados estragos na Rua Irineu José Nunes, no Boa Saúde, na Rua Campo Bom, no bairro Canudos, na Avenida Primeiro de Março, no Pátria Nova, e na Rua Espinilho, no Guarani.

Segundo a Prefeitura, durante a madrugada, o bairro Santo Afonso teve três ruas (Eldorado, da Divisa e Floresta) com grande acúmulo de água, mas sem atingir residências. Pela manhã, a água já havia baixado bastante nesses pontos, conforme a Defesa Civil. A Prefeitura informa ainda que monitora o acúmulo de água em estradas do bairro rural de Lomba Grande.

Em Campo Bom, houve queda de árvore e destelhamento parcial de duas casas. Segundo a Defesa Civil da cidade, os moradores não chegaram a ficar desalojados. Em Sapucaia do Sul, árvores caíram no Parque Zoológico, e o local foi fechado para visitação nesta sexta-feira.

Canoas tem 30 casas destelhadas

O temporal que atingiu Canoas ontem à tarde segue mobilizando as equipes da Prefeitura, do Corpo de Bombeiros e da RGE nesta sexta. Muitos bairros seguem sem luz, e há ainda várias árvores caídas pelas ruas, além de sinaleiras desligadas.

Um balanço parcial da Defesa Civil de Canoas aponta 100 atendimentos feitos somente ontem, desde o início do vendaval, por volta das 16h30. Foram 64 árvores caídas e 30 casas destelhadas.

Temporal derruba árvores em Canoas
Temporal derruba árvores em Canoas Foto: ADRIANA ZOTTIS/GES

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Canoas, Igor Sousa, os bairros com maior número de ocorrências foram o Guajuviras e o Olaria.

"Esperávamos ventos de, no máximo, 85 km/h, o que já é muito forte. Mas 109 km/h é algo totalmente fora do padrão", destaca Sousa. Foram 20 minutos de vendaval e uma hora de chuva forte. Nesse período, choveu cerca de 30% da média do mês (104 mm).

Susto em loja de Cachoeirinha

O vendaval também assustou funcionários das Lojas Lebes de Cachoeirinha. Ainda no fim da tarde de quinta-feira, o teto do estabelecimento comercial acabou desabando. Foi por volta das 16h45, já no fim do expediente. No momento do desabamento, não havia nenhum cliente na loja. Nenhum funcionário ficou ferido.

Lebes de Cachoeirinha: temporal causa desabamento do teto
Lebes de Cachoeirinha: temporal causa desabamento do teto Foto: Camila Chedid / Especial

Outras cidades

Na manhã desta sexta-feira, a Defesa Civil Estadual informou que recebeu relatos de estragos de três prefeituras:

Mais de 200 mil pontos sem luz

Um dos principais problemas que ainda afeta a população na manhã desta sexta-feira (26) é a falta de energia elétrica. No Rio Grande do Sul, 202 mil pontos nas áreas de concessão da RGE (117 mil) e CEEE Equatorial (85 mil) estavam sem luz no começo da manhã.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.