Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | São Leopoldo POLÍCIA

Professor do Instituto Pedrinho é investigado por suspeita de importunação sexual a alunas

Educador é acusado de exibir partes íntimas para adolescentes na escola. Instituto afastou o docente, que nega as acusações

Publicado em: 25.11.2021 às 19:28 Última atualização: 25.11.2021 às 20:43

Um professor de 52 anos, que leciona no Instituto Estadual de Educação Pedro Schneider, o Pedrinho, foi preso em flagrante, na tarde desta quarta-feira (24), por importunação sexual que teria sido cometido contra alunas dentro da escola, que fica no Centro de São Leopoldo.

Instituto Pedro Schneider teria sido o local do suposto crime
Instituto Pedro Schneider teria sido o local do suposto crime Foto: Diego da Rosa/GES-Arquivo
De acordo com estudantes e familiares, na terça-feira, o professor teria mostrado suas partes íntimas a uma aluna enquanto ela estava no bebedouro da escola. Outra estudante, de 17 anos, relatou à reportagem do Jornal VS que o educador teria passado a mão em suas nádegas, na manhã de quarta, no horário de entrada da escola.

Após o fato, um tumulto teria começado na instituição e o professor teria sido liberado. Depois de ter sido chamada para averiguação na Estação São Leopoldo do Trensurb, a Brigada Militar foi avisada de que o professor estava sendo acusado pelos fatos e deteve o educador. Ele foi levado para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde estudantes e familiares registraram um boletim de ocorrência.

Alunas relatam assédio

Conforme informações da escola, o professor leciona disciplinas como História e Ensino Religioso para turmas do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º do Ensino Médio, totalizando cerca de 300 alunos, de manhã e à tarde, na instituição.

"Esse tipo de coisa vem acontecendo há bastante tempo. Ele tenta se esfregar na gente, quando passamos por ele, ele fica mexendo nas partes íntimas, lança olhares maldosos", afirmou uma das vítimas, à reportagem.

"Ele fica olhando pra mim e pras minhas amigas com olhares maldosos, maliciosos, que não gostamos", contou outra aluna da escola, de 16 anos. Segundo as estudantes, alguns professores e a direção da escola já tinha sido informada sobre os fatos.

O Jornal NH não divulga o nome dos envolvidos em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Deam investigará o caso

Depois de registrada na DPPA, a ocorrência foi enviada para a Delegacia Especializada de Atendimento da Mulher (Deam) de São Leopoldo, por se tratar de crime sexual.

A titular da Deam, delegada Michele Arigony, confirmou que o motivo da prisão em flagrante foi o crime de importunação sexual. Na tarde desta quinta-feira (25), segundo ela, o acusado foi liberado por decisão do judiciário. Ele responderá em liberdade e a Deam deve investigar o caso por até 30 dias.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.