Publicidade
Botão de Assistente virtual
Opinião Opinião

A guinada no poder no Uruguai

Por Alexandre Aguiar
Publicado em: 28.11.2019 às 12:05 Última atualização: 28.11.2019 às 12:05

O Uruguai ainda aguarda a proclamação do resultado do segundo turno da eleição presidencial do último domingo, já que a estreita diferença entre os dois candidatos, de só 30 mil votos, impediu a declaração de um vencedor ainda na noite do dia do pleito, mesmo com mais de 99% de apuração. A tendência, contudo, é que o candidato do Partido Nacional Luis Lacalle Pou seja o novo líder do país vizinho a partir do próximo ano. Com isso, deve chegar ao fim um período de 15 anos em que a esquerdista Frente Ampla dominou a política uruguaia com o comando da intendência (prefeitura) de Montevidéu e a presidência da república.

Lacalle, filho do ex-presidente Luis Alberto Lacalle, último a governar antes do período de uma década e meia da Frente Ampla, ganhou em todos departamentos (estados), exceto em Montevidéu e Canelones. Canelones é departamento vizinho a Montevidéu e é onde encontra-se o aeroporto de Carrasco, junto à Ciudad de la Costa. É região onde muita gente que trabalha na capital tem sua residência. O candidato Blanco da centro-direita dominou o interior do país, onde obteve ampla vantagem em vários departamentos, o que anulou a vantagem não tão expressiva do esquerdista e governista Daniel Martínez em Montevidéu, maior colégio eleitoral e reduto da Frente Ampla.

Chamou atenção a votação de 66% de Lacalle em Rivera. Foi a maior disparada entre todos os departamentos. Por ter a maior cidade de fronteira com o Brasil, é de se perguntar se houve alguma influência brasileira? Não! Bolsonaro ganhou com pequena vantagem na fronteiriça Livramento. O fenômeno é local. Rivera é o departamento mais à direita do Uruguai. A esquerdista Frente Ampla chegou apenas em 4° lugar no primeiro turno em outubro. Venceu em Rivera no primeiro turno o direitista Partido Colorado.

Rivera, aliás, é reduto colorado histórico. O nome Rivera se deve justamente a um dos fundadores do partido, Fructuoso Rivera. Soma-se para o péssimo resultado da esquerda a aprovação elevada às gestões locais coloradas de direita. E, como curiosidade, Rivera é a terra natal de Hugo de León, ídolo das torcidas do Grêmio e do Nacional de Montevidéu. O ex-jogador e treinador que não se limitou ao futebol, é figura política ativa. Concorreu à vice-presidente do Uruguai pelo Partido Colorado em 2009. Sua chapa fez tão-somente 17% dos votos no país. No segundo turno, Mujica derrotou Lacalle Pou por 54% a 45%.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.